Desempregados, opositores criam perfil falso e se passam como prefeito de Quixeramobim

O perfil falso já foi retirado do ar, mas os rastros ficar

Perder é algo que muitas pessoas não conseguem aceitar, em Quixeramobim, na região Central do Ceará, o grupo de Cirilo Pimenta comandou aquele município por quase 20 anos, empregando seus correligionários, parentes, amigos, políticos aliados e todos aqueles que comungavam com o ex-prefeito.

A derrota de Cirilo Pimenta foi uma tragédia para o seu grupo, colocando muitas pessoas nos números do SINI/IDT, como desempregadas. Há mais de um ano das eleições, aparentemente Cirilo Pimenta e seu grupo não aceitaram a derrota das urnas, de forma democrática. Agora, articulam meios para transmitir desordem e conturbar a administração de Clébio Pavone.

A oposição busca de todas as formas prejudicar o município de Quixeramobim, para se beneficiar dos desgastes da gestão, inclusive a população tem percebido que esse grupo quer o pior, assim se beneficia politicamente.

Para se ter ideia da situação, servidores com salários pagos estavam em greve, resolvido a situação, a oposição criou um perfil falso nas redes sociais para proferir mentiras e acusações, como se fosse o prefeito de Quixeramobim.

A cada dia, a oposição perde a sua legitimidade e o desespero chega ao nível mais baixo.

Cirilo Pimenta e seu grupo realmente não tem aceitado a vontade do povo, enquanto o ex-prefeito está empregado no governo do Estado, muitos de seus correligionários estão em grave situação financeira, sendo esta uma da situação que tem causado revolta desses opositores.

Nota

Flávio Nogueira, assessor do prefeito, disse usaram a imagem, indevidamente e sem autorização para criar um perfil falso no facebook. “Portanto, peço encarecidamente a todos que não aceitam possíveis convites de amizades desse perfil falso, bem como desconsiderem todas as postagens feitas por ele. Clebio Pavone, informa a todos que as providências jurídicas foram tomadas afim de rastrear, denunciar e excluir esse perfil falso e, consequentemente, aplicar as sanções legais ao responsável”.