No dia do disco voador, saiba como relatos de abduções transformaram Quixadá na capital da ufologia

Por sua relação com casos misteriosos, Quixadá se transformou na capital da Ufologia (Foto: SVM)

Quixadá: basta virar uma esquina andando pelas ruas de Quixadá que, com certeza, você deverá encontrar alguém que afirme de pé juntos já ter visto algum objeto voador não identificado em Quixadá, razão pela qual o município se tornou por força dessa tradição popular, como a capital da ufologia.

Ufologia é a ciência que estuda a aparição e o surgimento de objetos voadores não identificados, que são caracterizados pela sigla OVNI. É essa ramificação da ciência que tem trazido à luz casos tido como inexplicáveis, e muitos deles podem ser encontrados pela população de Quixadá.

Seja uma pequena luz que não se sabe de onde veio, ou mesmo um objeto que muitos culturalmente chamam de “aparelho”, fato é que desde sempre Quixadá abrigou casos de OVNIs. O mais famoso caso do município foi o do aposentado Luiz Barroso, ocorrido na década de 80.

Caso Barroso: um dos mais impressionantes relatos de ufologia de Quixadá (Foto: Diário do Nordeste)

De acordo com relatos da época Barroso saia para trabalhar no início da manhã em sua carroça no sertão de Quixadá. Ele era agricultor e estaria indo pegar uma carga de leite em sua carroça quando teria sido abatido por uma luz. Até hoje a história de Barroso é a mais famosa de Quixadá.

Logo depois deste caso, o agricultor começou a apresentar reações estranhas e, a principal suspeita é que tenha morrido em função de consequência deste abatimento por luz. De acordo com ufólogos, Barroso morreu sem saber falar nem andar. Sua pele rejuvenesceu, como no período de sua infância.

Ele reagia com expressão de dor à fenômenos luminosos, como o flash de uma câmera fotográfica ou ainda à iluminação comum de um quarto. Médicos de vários lugares do Brasil vieram a Quixadá para acompanhar o caso mas nenhum conseguiu dar um diagnóstico fechado para a situação vivida pelo agricultor.

Na cidade de Quixadá o comerciante Robson de Alencar, o Bob Peças, também se tornou popular não só pelo serviço que realiza, mas também pela coleção de casos de OVNIs que ele cataloga há 40 anos. Em entrevista ao jornal Diário do Nordeste, em 2016, ele deu a seguinte declaração: “Tenho certeza que existe vida fora da terra. Eu mesmo já tive contato com seres e Quixadá é uma ponte destes seres aqui em nosso planeta”, conta.

Os relatos foram se popularizando e, desde então, Quixadá foi ganhando o posto da Capital Ufológica. O fenômeno faz alavancar o turismo na região e virou até enredo de filme. “Aréa Q” (Q, de Quixadá) foi lançado em 2012 contando a história do caso Barroso e das inúmeras abduções na cidade. A cidade cresce a cada dia com gente que sempre chega por lá olhando para o céu e procurando ver algo diferente.

Matéria originalmente publicada em outubro de 2021