Matadouro Público de Quixadá continua fechado, gerando prejuízos ao Município, magarefes e consumidores

Uma simples reforma já dura quase 4 anos e mesmo assim de funcionamento (foto: RC)

Quixadá: A interdição do Matadouro Público Municipal já ultrapassa quase 4 anos e o resultado para o município são prejuízos incalculáveis, pois deixou de arrecadar durante esse intervalo, do outro lado, dezenas de magarefes sofrem com o fechamento. A reabertura ainda não tem data marcada.

No início do mês, o prefeito municipal Ilário Marques até anunciou a reabertura do Matadouro, mas simplesmente não passou de mais uma promessa. Quem precisa desse espaço público se diz mais uma vez enganado pela autoridade maior do município.

Uma simples reforma já dura quase 4 anos e mesmo assim, a gestão petista não teve competência para reabrir esta unidade de abate. Se o matadouro de Quixadá está fechado, magarefes buscam o Matadouro Público de Quixeramobim como alternativa.

O abate de animais em Quixeramobim causa prejuízo os magarefes, pois eles têm que arcar com a despesa de deslocamento. Por sua vez, tais valores acabam sendo repassados alguns consumidores.

Transportar um animal e abater em Quixeramobim custa aproximadamente R$ 80,00 reais por cabeça.

A situação é grave, inclusive merecia uma ampla investigação de possíveis abates de animais de forma clandestina, sem atender os requisitos da legislação de saúde e ambiental. No meio dessa possível disputa entre magarefes e gestor, a população é quem perde com essa situação que se arrasta lentamente.