Polícia Civil e Pefoce realizam operação contra venda irregular de água para consumo humano

garrafões apreendidos (foto: divulgação/SSPDS)

Uma ação conjunta desenvolvida pela Polícia Civil e pela Perícia Forense do Estado do Ceará, na manhã desta quarta-feira (01), em Fortaleza, Caucaia e Pacajus, resultou na interdição de cinco estabelecimentos comerciais que vendiam de forma irregular água para consumo humano. A ação foi desenvolvida pela Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF) após investigação da especializada. Foram cumpridos mandados de busca e apreensão nos locais.

Já a Pefoce foi responsável pela coleta de água e embalagens para análises físico-químicas para avaliar a presença dos sais adicionados, bem como análises microbiológicas. “O material coletado será analisado para averiguar a potabilidade para consumo das águas e também confrontar os resultados dos sais adicionados com os valores contidos nos rótulos”, afirmou Rafael Davet, supervisor do Núcleo de Química da Coordenadoria de Análise Laboratorial Forense (Calf) da Pefoce. Ainda segundo Rafael, algumas análises serão realizadas em parceria com o Laboratório Central do Ceará (Lacen), já que eles fazem a parte de controle de qualidade de águas adicionadas de sais. A partir dos relatórios técnicos apresentados pelo laboratório, o Núcleo de Química Forense emite um laudo que avaliará a potabilidade da água.

De acordo com o delegado Andrade Júnior, à frente das investigações, se comprovadas as irregularidades, os responsáveis pelos estabelecimentos comerciais, que foram interditados, serão indiciados por incolumidade pública, falsificação de substância para consumo humano, falsificação de invólucros em recipientes destinados a consumo humano e por vender ou ter em depósitos produtos voltados a consumo humano sem devida autorização legal.

Saiba mais

Conforme a portaria nº 2.914/2011 do Ministério da Saúde (MS), água para consumo humano é água potável destinada à ingestão, preparação e produção de alimentos e à higiene pessoal, independentemente da sua origem e que não ofereça riscos à saúde. Para que uma água seja considerada potável, deve-se atender ao padrão de potabilidade, que envolve padrões estabelecidos para parâmetros físicos, químicos, microbiológicos, organolépticos, cianobactérias/cianotoxinas e radioatividade.