Ataques: Quinze suspeitos têm prisão preventiva decretada

Foto: Alex Gomes (AFP)

No segundo dia de audiências de custódia dos suspeitos de participação nos ataques ocorridos em Fortaleza, que continuam se repetindo desde o último dia 2, foram analisados, ao todo, 19 casos de prisão em flagrante. Quinze pessoas tiveram prisão preventiva decretada, duas tiveram prisão substituída por medidas cautelares e outras duas, prisão relaxada. Até o início da noite de ontem, 239 suspeitos de participação nos ataques tinham sido capturados, conforme a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

Os casos analisados são de flagrantes dos dias 3 e 4 de janeiro. Nenhum dos detidos foi apontado como mandante das ações. No entanto, as prisões deram pistas sobre a autoria intelectual dos crimes (devido ao teor dos depoimentos, nomes serão resguardados). Ao ser presa em flagrante transportando em uma bicicleta um galão de gasolina, a pessoa afirmou que comprara o combustível para um dos chefes do tráfico de drogas da comunidade conhecida como Beco da Morte, no Conjunto Esperança.

Já no celular de um homem preso com mais duas pessoas, suspeito de destruir um fotossensor no Genibaú, policiais visualizaram conversa dele com um homem que faria parte do Comando Vermelho (CV). Em outro celular, de um integrante da Guardiões do Estado (GDE), um grupo no WhatsApp mostrava que havia a intenção de explodir o viaduto do antigo Frigorífico de Fortaleza (Frifort), localizado na BR-222, no limite entre Fortaleza e Caucaia. Outro homem foi abordado no Planalto Pici após denúncia anônima apontá-lo como envolvido nos ataques criminosos.

Na terça-feira, 8, foram realizadas duas audiências de custódia relativas à série de atentados. A prisão em flagrante de dois homens foi convertida em cumprimento de medidas cautelares. A outra audiência ocorreu sob segredo de Justiça e não teve decisão divulgada.

Audiências de custódia de 9/1

Prisão flagrancial convertida para preventiva:

Tiago Pereira de Almeida

Autuado por incêndio, corrupção de menores e organização criminosa

Suspeito de incendiar ônibus na avenida Cônego de Castro em 3 de janeiro

Francisco Adriano Alves

Autuado na lei de organização criminosa

Preso com um galão de gasolina. Disse que uma pessoa o mandara comprar 2,5 litros de gasolina

Ademilton Ramon Martins Santos

Autuado por incêndio e lei de organização criminosa

Suspeito de incendiar ônibus na avenida Cônego de Castro na tarde de 3 de janeiro

Arlen Felipe Freire Inacio

Autuado na lei de organização criminosa

Preso na Sapiranga, em 3 de janeiro, confessou aos policiais ser membro uma facção criminosa

Sabrina Alves Costa

Tráfico de drogas

Presa em 3 de janeiro com 21 trouxinhas de cocaínas, é suspeita de integrar facção criminosa e dar cobertura aos ataques a fotossensores na avenida

Oliveira Paiva

Thiago Anderson dos Santos Silva, Cicero Carvalho de Oliveira, Paulo Anderson Batista Sales e Paulo Francisco Nogueira de Oliveira

Autuados na Lei de organização criminosa e associação criminosa

Presos em 3 de janeiro em um carro, no Centro, com dois galões de plásticos. Seriam membros de uma facção criminosa

Italo Rodrigues Rufino, Cleirton Lima de Souza e Hugo Oliveira Costa

Autuados por dano ao patrimônio público, associação criminosa, posse de drogas e Lei de organização criminosa

Suspeitos de queimar fotossensor no bairro Genibaú. No telefone, conversa indicava que o ato foi feito em cumprimento a ordem

Francisco Roberto Amadeu Moura

Autuado por posse de arma de fogo, resistência à prisão e lei de organização criminosa

Após denúncia anônima, confessou ser membro de uma facção criminosa. Revelou que explosivos vindos de Itapipoca seriam usados para explodir um viaduto na BR-222

Prisão preventiva substituída por prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica

Lucivania Vasconcelos Ferreira

Autuada por crime contra a ordem econômica e Lei de Organização Criminosa

Presa com um galão de gasolina.

Prisão substituída por medidas cautelares diversas

Rodrigo Ricardo Freire da Silva

Preso em 3 de janeiro suspeito fazer barricadas com fogo no bairro Sapiranga. Juiz disse vislumbrar “necessidade de uma maior produção de provas”. Terá que comparecer mensalmente ao Cispe e não poderá sair de casa das 22 às 6 horas por seis meses

Prisões relaxadas

Homem preso com um galão de plástico contendo gasolina no São João do Tauape

Autuado na lei de organização criminosa

Em juízo, o custodiado declarou que seu carro havia parado nas proximidades sem gasolina. Pouco antes, disparos de arma de fogo foram realizados contra uma agência bancária da avenida Pontes Vieira. “Com o custodiado não foi encontrada nenhuma arma. Por outra, estava adquirindo a gasolina em um posto, à vista de todos, mas não havia notícia de nenhum incêndio nas imediações. Ainda: se pretendia provocar algum incêndio criminoso, estava no máximo agindo ainda em atos preparatórios, o que não é penalmente punível”, entendeu o juiz.

Três homens presos com três litros de gasolina

Autuados na lei de organização criminosa.

Juiz entendeu não haver indícios no auto de prisão de que os custodiados fossem integrantes de facções criminosas.

Números

23 presos pelos ataques em Fortaleza foram ouvidos em dois dias de audiência de custódia

15 Pelo menos, tiveram prisão preventiva decretada

Conteúdo: O Povo

Tags: