Em 2022, número de pessoas desaparecidas cresce 60,2% no Ceará

Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa é responsável pelas buscas por desaparecidos no Ceará(foto: Mauri Melo)

A Polícia da 12° Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil do Ceará (PC-CE) encontrou 250 pessoas desaparecidas no Ceará nos primeiros quatro meses de 2022. O número é 60,2% maior do que no mesmo período de 2021, quando foram 156 pessoas localizadas. Neste ano, 8% (20) das pessoas que estavam desaparecidas foram encontradas mortas.

Entre as estratégias utilizadas pela Polícia, destaca-se o uso da tecnologia e de técnicas de investigação, a divulgação dos casos e a troca de informações entre as forças de segurança, os órgãos públicos, familiares e pessoas próximas aos desaparecidos. Conforma a Polícia Civil, imagens de câmeras de segurança dos locais onde as vítimas foram vistas pela última vez, características físicas, roupas usadas por elas são informações importantes para localização. 

“Neste ano, tivemos um aumento de efetivo e isso, sem dúvidas, contribuiu no aumento de elucidação dos casos. Quero reforçar isso, porque sei que temos policiais preparadíssimos. Somos uma instituição com investigadores qualificados para atuar em diversas áreas inclusive, nessas ocorrências mais sensíveis, que é a de pessoas desaparecidas”, destaca o delegado titular da 12ª, Augusto Soares. Ele ressalta que não é necessário esperar 24 horas para buscar ajuda da Polícia para pessoas desaparecidas.