Cristina Pimenta fecha emergência do hospital infantil de Quixeramobim, mesmo recebendo R$ 120 mil reais

Região Central: O Sistema Maior de Comunicação de Quixeramobim considerado pelos governistas como oposição ferrenha a administração do prefeito Clebio Pavone, divulgou nesta segunda-feira(30), que a “Prefeitura de Quixeramobim fecha Emergência do Hospital Infantil justificando ajuste de despesas”, todavia é faik news e mais um ataque dos antigos aliados do ex-prefeito Cirilo Pimenta.

Na verdade, o Hospital Infantil Nossa Senhora do Perpétuo Socorro não pertence e nunca pertenceu a Prefeitura Municipal de Quixeramobim, o que a impossibilita de adotar qualquer gerenciamento ou decisão. Este hospital é filantrópico e comandado pela vereadora Cristina Pimenta, sendo esta a pessoa responsável pelas medidas de fechamento.

Conforme o prefeito Clébio Pavone, a Prefeitura de Quixeramobim tem um convênio com o hospital, onde repassa mensalmente e encontra-se em dia, o valor de R$ 17.400,00 (dezessete mil e quatrocentos reais).  Além disso, quase 20 funcionários são cedidos para trabalhar na unidade de saúde. O valor do repasse da Prefeitura deve ser usado para o pagamento dos médicos.

O Governo Federal repassa mensalmente ainda o valor de R$ 57.652,19 e o Estado do Ceará R$ 45.000,00, perfazendo o valor de R$ 120.252,19 (cento e vinte mil duzentos e cinquenta reais e dezenove centavos) com o valor da Prefeitura.

O prefeito não quis falar sobre os “ataques sofridos” pelos veículos de comunicação do Sistema Maior, apenas lamentou. Na reportagem, ficou evidente a intenção de atingir a administração, tendo em vista, que mesmo sabendo que a Prefeitura não tem qualquer gerenciamento no hospital, culpa-a e isenta a Cristina Pimenta, quem tem total controle das decisões administrativa do hospital.

Os Ministérios Públicos Estadual e Federal devem adotar com urgência medidas, para que a diretora e vereadora Cristina Pimenta esclareça e preste contas do dinheiro público recebido.