Greve geral em Canindé já dura onze dias e servidores saem às ruas para protestar

Servidores públicos municipais protestam nas ruas de Canindé nesta sexta-feira (16).

A greve geral dos servidores da Educação, Saúde e Fundo Geral, chega ao 11º nesta sexta-feira (16). A paralisação está sendo promovida pelo Sindicato dos Servidores Públicos Municipal de Canindé (Sindsec).

A versão apresentada pelo sindicato é de que a Prefeitura Municipal, através da prefeita Rozário Ximenes (DEM), não está cedendo abertura para conversar com a classe. Entre as demandas dos servidores estão a ascensão funcional para professores, adicional de tempo por serviço (ATS), insalubridade para agentes de endemias e a gratificação de trabalho no campo (GTC).

Em resposta à paralisação, a prefeita Rozário Ximenes caraterizou o ato como ‘irresponsável’. “Mais uma vez o Sindicato dos Servidores Públicos de Canindé (Sindsec), estimula os servidores a aderirem a uma greve irracional e ilegal, colocando em risco os serviços prestados aos cidadãos canindeenses neste momento tão difícil que enfrentamos”, afirmou.

Na manhã de hoje, servidores saíram às ruas de Canindé em motocicletas e carros, guiados por um carro com som, vestindo camisas com a frase ‘Prefeita pague meus diretos’ estampada. De acordo com o Sindsec, a prefeita Rozário Ximenes ‘se recusa a abrir um canal de diálogo com a categoria’.