Chefe de organização criminosa apontado como autor de 10 homicídios é preso no Ceará

Investigações apontam que Jamilo da Silva Pereira matou duas pessoas para fazer parte de facção rival; Foto: divulgação

 

Um homem de 27 anos apontado como chefe de uma organização criminosa foi preso nesta terça-feira (13) em uma residência no Bairro Iparana, em Caucaia, Região Metropolitana de Fortaleza. A captura aconteceu quando policiais civis trabalhavam em uma operação para prender os autores da chacina que ocorreu domingo (11) em Caucaia.

Conforme a Polícia Civil, Jamilo da Silva Pereira já responde por posse irregular de arma de fogo. Ele também é investigado pela suspeita de participação em, pelo menos, 10 homicídios. Também existia um mandado de prisão em aberto contra o suspeito.

Investigações da Polícia Civil apontam que Jamilo integrava um grupo criminoso, mas para provar que tinha interesse em fazer parte de uma organização criminosa rival, ele assassinou um adolescente de 17 anos e um homem de 20 anos em 20 de março.

Após prestar depoimento na delegacia, Jamilo da Silva teve o mandado judicial de prisão cumprido.

Prisão do autor de chacina em Caucaia
Um suspeito de participação na chacina que deixou quatro mortos no último domingo (11), em Caucaia, foi preso durante uma operação das polícias Civil e Militar nesta terça-feira (13).

Segundo a Polícia Civil, o suspeito foi identificado como Francisco Alisson Ferreira de Sousa, 27 anos, mais conhecido como “Grandão”. A polícia afirmou que “Grandão” já responde por homicídio, porte e posse irregular de arma de fogo. De acordo com as investigações, ele é suspeito de participar da chacina.

“Grandão” foi localizado em uma casa em Iparana. Após a prisão, o homem foi levado para a Delegacia Metropolitana da Caucaia, onde confessou o crime e foi autuado em flagrante.

Chacina
Quatro pessoas, sendo um adolescente de 15 anos, uma mulher e dois homens foram mortas a tiros no Bairro Parque São Gerardo. As identidades das vítimas não foram divulgadas.

Conforme testemunhas, as vítimas bebiam quando os criminosos chegaram a pé munidos e atiraram na direção do grupo. No local, foram encontradas cápsulas de pistolas de diversos calibres. Após o crime, os atiradores fugiram por um mangue.

De acordo com a mãe do adolescente, que não quis se identificar, o filho saiu para comprar bombons e não seria alvo dos executores. Ele não estava com as outras três vítimas e pode ter sido atingido por uma bala perdida, conforme a família.

 

Com informações do G1