Servidores públicos aderem greve em Quixadá; comércio deve funcionar normalmente

É com grande expectativa que sindicatos de várias categorias do município de Quixadá esperam centenas de trabalhadores no ato de greve geral, fato agendado para esta sexta-feira, 28. Em sua rede sociail, o prefeito de Quixadá, Ilário Marques anunciou que vai aderir e convidou os funcionários municipais. “Convocou a todos os quixadaenses a participarem”.

Bancários, servidores municipais, estaduais e federais também prometem cruzar os braços em protesto as reformas do governo Michel Temer que estão tramitando na Câmara Federal. Em Quixadá, quem também deve paralisar são os professores da rede particular.

Espera-se, por exemplo, que bancários paralisem suas atividades em ao menos 22 Estados, de acordo com informações da CUT (Central Única dos Trabalhadores), uma das centrais sindicais que convocaram a paralisação. Professores das redes pública e particular também dizem que irão cruzar os braços, assim como aeroviários e funcionários dos serviços de ônibus, metrô e trens.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, afirma que esta “será a maior greve da nossa história”, mas ele próprio reconhece que houve, no passado, tentativas frustradas. “Tivemos uma grande greve em 1989, outras greves tentamos fazer de lá para cá. Essa, acho que vai ter uma adesão muito grande, todos os setores.”

Ainda na cidade de Quixadá, muitos trabalhadores ligados a setor comerciário estão revoltados com a falta de mobilização do Sindicato da categoria. Os empresários não vão liberar seus trabalhadores. Também pode fazer a diferença os trabalhadores da agricultura.

Assista a convocação do prefeito!