Saúde: Operação da Vigilância Sanitária de Quixeramobim fecha três farmácias clandestinas

A Coordenadoria de Vigilância Sanitária de Quixeramobim fechou três farmácias que comercializavam medicamentos irregulares e vendiam remédios até proibido no Brasil. Tudo só foi possível, graças a uma denúncia de populares, que afirmavam que uma farmácia estava comercializando medicamentos de forma criminosa.

Conforme a fiscalização, os comerciantes compravam os medicamentos para uma farmácia Matriz e distribuíam para outros dois pontos clandestinos, um no bairro Conjunto Esperança e outro no Distrito de São Miguel, na zona rural de Quixeramobim. Os estabelecimentos foram fechados.

A operação fechou as três farmácias clandestinas em Quixeramobim, todo o material foi processado e apresentado à autoridade policial para as devidas providências criminais.

Os locais funcionavam sem a presença de farmacêutico e sem qualquer documentação. Além disso, eram vendidos medicamentos de tarja preta sem receita. Também foi encontrado remédio proibido no Brasil.

Os responsáveis devem ser processados por com base no art. 282, do Código Penal – (Art. 282 – Exercer, ainda que a título gratuito, a profissão de médico, dentista ou farmacêutico, sem autorização legal ou excedendo-lhe os limites), bem como art. 273, do CP (Art. 273 – Falsificar, corromper, adulterar ou alterar produto destinado a fins terapêuticos ou medicinais: (Redação dada pela Lei nº 9.677, de 2.7.1998).

A operação recebeu o apoio das Polícias Militar e Civil da cidade de Quixeramobim.