Quixadá leva 1º lugar na maior competição de interação humano-computador do País

Equipes compostas por alunos de Design Digital foram coordenadas no evento pela Profª Ingrid Monteiro, do Campus da UFC em Quixadá (Foto: Divulgação)

O projeto Progster: aprendendo lógica de programação com um tabuleiro eletrônico, desenvolvido por alunos do Campus de Quixadá da Universidade Federal do Ceará, conquistou o primeiro lugar no maior evento do País na área de interação humano-computador (IHC), o XVI Simpósio Brasileiro sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais.

O evento ocorreu em Joinville (SC), de 23 a 27 de outubro. O Campus de Quixadá tinha nada menos que três dos seis projetos finalistas na competição de Design do evento. Além do campeão, liderado pela estudante Raíssa Lemos, os outros dois, Mundo dos sonhos: usando narrativas para ensinar noções matemáticas a crianças, liderado pela aluna Maryanna Araújo, e Storyteller: uma solução digital para a aprendizagem divertida da língua inglesa, liderado por Jhonny Sousa, receberam menção honrosa.

As três equipes eram formadas por alunos de Design Digital, que na época da submissão dos trabalhos cursavam o terceiro semestre da graduação. “Foram considerados itens como criatividade, originalidade, design de interação, design visual, adequação ao tema e ao público-alvo. Portanto, o saldo da competição foi muito positivo para a UFC: um primeiro lugar e duas menções honrosas”, comemora a Profª Ingrid Monteiro, coordenadora do Curso.

O Progster, projeto vencedor, consiste em um brinquedo que ensina lógica de programação para crianças entre 7 e 9 anos.

EMOÇÃO E INCENTIVO – Segundo a Profª Ingrid, a turma do Campus de Quixadá foi uma atração à parte no evento. “Muitas pessoas vinham falar comigo, cumprimentar e parabenizar os alunos, saber sobre nossa experiência para replicá-la em outras universidades”, relata a coordenadora do Curso de Design Digital.

Entre os que se aproximaram para parabenizar a equipe da UFC, estavam personalidades importantes da área de IHC, como Clarisse de Souza (que, em 2017, recebeu o prêmio Carreira de Destaque em IHC no evento), Simone Barbosa (autora do livro Interação humano-computador, adotado em várias universidades,) e até Elizabeth Churchill, diretora de User Experience da empresa Google, que até mencionou o sucesso de Quixadá em sua palestra.

“A hora da entrega do prêmio foi regada a muita emoção. Eu e as meninas nos abraçamos e choramos de tanto orgulho”, lembra a Profª Ingrid. Segundo ela, a conquista impulsionará a participação do Campus nessa e em outras competições, além de funcionar de incentivo para os estudantes de campi do Interior.

“O fato de termos levado o primeiro lugar cria inclusive uma certa pressão para mantermos esse nível e continuarmos concorrendo nas próximas edições”, comenta.

Equipe Storyteller em demonstração (Foto: Divulgação)