Produtores do Ceará estão sem leite há oito dias; sem ração, pintos são sacrificados

5_plantao_policialaaaOs setores da avicultura, bovinocultura e ovinocultura contabilizam as perdas no Ceará com a greve dos caminhoneiros.

De acordo com o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (Faec), Flávio Saboya, médios e pequenos produtores de leite estão há oito dias sem receber leite.

“Situação muito precária. Nosso setor sofre tremendamente. A atividade leiteira qué é constituída por pequenos e médios produtores não recebe leite há mais de oito dias”, afirma o presidente da Faec. “Isso significa prejuízo total. O leite não espera. Se não podemos utilizar o leite não tem como transformá-lo em queijo, por exemplo, e outros derivados”.

Aves
Sobre a avicultura, o presidente diz que muitas fazendas do Ceará já sacrificam pintos por causa da falta de ração.

“A disponibilidade de alimentos está crítica. Há o sacrifício de pintos que estão nascendo. Isso é constante no Ceará”, lamenta.

Suínos
Já o vice-presidente da associação de suinocultores, João Ricardo Rabelo, disse que só há ração até quarta-feira (30). São mais de 11 mil matrizes que existem no estado. Todas prejudicas e com o estoque no fim.

“Nós estamos muito preocupados. As granjas só têm o poder de armazenar grãos de três a quatro dias. Se não houver uma atitude por parte do governo que agilizar a saída de grãos dos bloqueios vai haver um prejuízo incalculável”.

Matéria replicada do portal G1 CE