Prefeito Pavone acaba com a farra das licitações para patrocinar rádios de Quixeramobim e vira alvo de ataques

Pavone em entrevista em 2017 (foto: assessoria da PMQ)

Região Central: O prefeito Clébio Pavone, do município de Quixeramobim tem sentido na pele o poder da imprensa, após acabar com as farras das licitações para favorecer alguns setores da  comunicação, ele virou algo de constantes ataques a sua gestão.

De acordo com o Ministério Público Estadual, em 2013, durante a operação nas “ondas da corrupção”, revelou um suporte esquema criminoso envolvendo rádios locais com a ex-gestão de Cirilo Pimenta. Havia rádio que faturava somente com propaganda da prefeitura de Quixeramobim, o valor de R$ 35 mil reais mensais.

Uma emissora chegou a receber R$ 710.752,92, uma segunda R$ 434.526,92, e uma terceira R$ 462.331,29 dos cofres públicos. Uma ação de improbidade administrativa tramita contra alguns chefões da comunicação em Quixeramobim.

Se antes as administrações de Quixeramobim recebiam apenas elogios, agora as denúncias são constantes. Aparentemente começaram a enxergar os problemas que antes fechavam os olhos. Não se sabe, se era em virtude do grande volume de dinheiro para a grade de programação.

O ex-prefeito Cirilo Pimenta fazia quase todos os meses ‘cadeia’ de rádio, tudo com o aval dos diretores.

A parceria entre a Prefeitura de Quixeramobim com as rádios acabou, agora, Pavone sente na pele as reiteradas e as vezes até mentirosas denúncias. Nas redes sociais, a população comenta essa mudança radical do jornalismo em Quixeramobim.

 Sem dinheiro, alguns veículos de comunicação de Quixeramobim andam aliados com o grupo da oposição.