Prefeito de Quixeramobim consegue pagar todos os servidores e equilibrar finanças do município

Região Central: o rombo milionário deixado pelo ex-prefeito Cirilo Pimenta, causou grande entrave para o prefeito Clebio Pavone. Salários de servidores atrasados de 2016 e milhões de reais foram cobrados pelos fornecedores. Naquele mesmo ano, o extinto TCM/CE realizou uma operação contra o desmonte na prefeitura de Quixeramobim (leia no Diário do Nordeste). Cirilo Pimenta chegou a querer fechar um hospital.

Pimenta entregou a prefeitura com dívidas inapagáveis, inclusive, confirmada pelo vereador François Saldanha.

Em 2017, Pavone enfrentou sérios problemas para governar o município, além da drástica redução dos recursos federais, a oposição ainda atrapalhou a gestão, cujo objetivo era levar o município ao caos.

Servidores tiveram salários atrasados, enquanto os aposentados sofreram com a ira do presidente da Câmara Municipal. Na época, um projeto Quiprev, que liberava dinheiro aos velinhos foi engavetado por dois meses, sendo votado diante da reação popular.

A gestão terminou 2017 com as finanças bloqueadas judicialmente, mas em março de 2018, essa triste realidade foi cessada. A expectativa que a gestão dê um salto em seus projetos. Com servidores e aposentados pagos em dia, a oposição já se articula para criar problema para prejudicar novamente a população.

Como os servidores estão com seus salários em dia, um sindicalista ligado ao prefeito anterior, resolveu pedir a cassação de Pavone. Esse sindicalista é ligado ao PT, partido que é rigorosamente contra impeachment de governos eleitos democraticamente.

Passados quase dois anos, Cirilo Pimenta e sua turma ainda não aceitaram a derrota nas urnas e agora querem aplicar um golpe.