Prefeito de Choró: “Não vou aceitar certas matérias” e radialista denuncia que “hospital não faz exame de sangue”

Jornalista Wanderley Barbosa, Prefeito de Choró Marcondes Jucá e radialista Everardo Gomes (foto: reprodução)

É grave a situação da saúde do município de Choró, região Central do Ceará, após denúncia da farra da refeição: “Dobro da população: Prefeitura de Choró gastará quase R$ 370 mil na aquisição de 26.885 refeições”, o prefeito Marcondes Jucá foi à Rádio Monólitos de Quixadá fazer esclarecimentos. Ele se mostrava bastante irritado com a denúncia e mandou um recardo para a imprensa.

Marcondes garantiu que as 26.885 quentinhas serão para o consumo em eventos durante dois anos, de forma equivocada, ele contraria o próprio edital que diz que a execução será para um ano, (pregão presencial Nº 25/2017-PP – 5.2.4. Prazo de execução de 12 (doze) meses).

Edital da licitação diz que o prazo é de apenas um ano (foto: reprodução TCE/CE), mas prefeito garantiu que é para dois!

O prefeito Marcondes Jucá garante que não é verdade a informação da farra das quentinhas, tanto que “já retiraram essa matéria”. Mais uma vez o prefeito não falou a verdade, pois a reportagem continua no ar e jamais será retirada, veja: Dobro da população: Prefeitura de Choró gastará quase R$ 370 mil na aquisição de 26.885 refeições.

Bastante irritado, Jucá mandou uma intimação: “Não vou aceitar certas matérias”, mas não explicou qual a sua intenção, e continuou: “não vou aceitar radialista nenhum querer denegrir a imagem do prefeito”.

O prefeito do Choró continuou falando as mil maravilhas que supostamente passa o município em sua análise pessoal, até o momento em que uma ouvinte ligou e com medo não quis informar o seu nome, sendo criticada por um radialista. A moradora reclamou da péssima saúde.

Outro ouvinte cobrou pagamento dos monitores, dizendo-o que estão com três meses atrasados, sem alternativa, Marcondes disse que o Secretário de Finanças estava providenciando o pagamento de dois meses, curiosamente hoje, sábado, dia em que os bancos estão sem funcionamento e a prefeitura fechada.

Noutro momento, o radialista Marcolino Borges rebateu o prefeito, contrariado e deixando-o constrangido. “No hospital não faz se quer exame de sangue e também o Raio-X não funciona todos os dias”, denunciou o comunicador da FM Pioneira. Sem alternativa, Jucá apenas disse: “Surpresa minha, que não está fazendo exame de sangue, pois não sabia”.

Em seguida, o diretor do Hospital de Choró, Josué Paiva, reconheceu o problema, colocando culpa exclusiva no equipamento velho. “O exame PSA não é feito por causa do equipamento que não faz a leitura, precisaria de uma máquina nova”. Conforme o diretor, o raio-x funciona de segunda a sexta-feira e nos demais dia apenas urgência e emergência.