Polícia Civil desarticula grupo envolvido em homicídios e outros crimes em Fortaleza e Ocara

Um grupo criminoso de alta periculosidade, suspeito de homicídios e envolvimento no tráfico de drogas e armas de fogo, foi desarticulado pela Polícia Civil do Estado do Ceará, após um trabalho desenvolvido pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). No total, foram indiciadas oito pessoas, entre elas, uma mulher que teria articulado o homicídio do próprio irmão, em março deste ano. O resultado da ofensiva foi divulgado em coletiva de imprensa, nesta quarta-feira (08).

As apurações iniciaram após o homicídio que vitimou Henrique Washington de Sousa Silva (33) – sem antecedentes – no bairro Mondubim, no dia 05 de março. Na ocasião, o homem foi atraído até um local, onde foi morto com disparos de arma de fogo. Com os trabalhos policiais, os mandados de prisão foram representados e deferidos junto ao Poder Judiciário.

Duas dos envolvidos foram presas, nessa segunda-feira (06), no bairro Granja Lisboa, Área Integrada de Segurança 02 (AIS 02). São elas: Camila de Sousa Silva (32), que é irmã da vítima e participou do esquema criminoso; e Girlene Ferreira Rodrigues (32), suspeita de atrair Henrique Washington até o local do crime. Ambas sem antecedentes. O mandante, identificado por Robenilton Souza Fontana (29) – conhecido por “Paulista” – já se encontra recolhido no Sistema Prisional respondendo por tráfico de drogas. O mandado judicial, contra ele, também foi cumprido na segunda-feira (06). “Paulista” era cunhado da vítima e companheiro de Camila.


De acordo com o diretor da DHPP, Leonardo Barreto, o homem confessou o crime, em depoimento, e afirmou que ordenou a morte de Washington, pois este vinha atrapalhando a comercialização de entorpecentes na região. Uma vez que ele não concordava com a prática ilícita nas proximidades da residência dos seus parentes.

Outro indiciado foi Antônio Rafael Vieira da Silva (27) – conhecido por “Quixadá” e com passagens por lesão corporal dolosa e ameaça – que é apontado como o executor do homicídio. Ele também havia sido preso, em maio deste ano, junto com Maria Leiliane Fernandes Costa (29) – sem antecedentes, em Messejana (AIS 03), após uma operação desencadeada em conjunto pela DHPP e a Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD). Na ocasião, os dois foram localizados no momento que realizava uma entrega de entorpecentes – 200 gramas de cocaína e 60 gramas de crack – que seriam levados até a cidade de Ocara (AIS 15).

Após as prisões em Fortaleza, as equipes de policiais civis seguiram até Ocara, no intuito de prender os demais envolvidos, que seriam os destinatários da droga. No município, a Polícia foi até o imóvel onde residiam Maycon Reginaldo de Freitas do Nascimento (29) – com passagens pela Polícia por contravenção penal, lesão corporal dolosa, roubo e tráfico de drogas; e Antônia Aline Mariano dos Santos (28) – sem antecedentes. Com os suspeitos, foi apreendido um revólver calibre 38, municiado, e 380 gramas de maconha. Ainda na cidade, os policiais prenderam outra partícipe do grupo, identificada por Maria das Graças da Silva (29) – sem antecedentes, que estava em posse de 33 trouxinhas de maconha.

Ainda de acordo com Leonardo Barreto, na cidade de Ocara era mantido um braço do grupo criminoso, que era sustentado pelos envolvidos. “Eles serão indiciados com a individualização da conduta de cada um, ou seja, homicídio qualificado, organização criminosa, tráfico de drogas e associação para o tráfico”, destacou. A Polícia Civil agora mantém as investigações, no intuito de identificar outros crimes que o grupo tenha participado.

Fonte: SSPDS

Tags: