PF faz buscas que miram o Senador cearense Eunício Oliveira, o “Índio da lava jato”

Senador Eunicio Oliveira(MDB) é investigado na lava-jato (foto: Revista Central)

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 10, a Operação Tira-Teima, que investiga pagamentos de vantagens indevidas, por partes de um grupo empresarial a políticos, para obter benefícios em medidas de interesse do grupo econômico.

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin ordenou oito mandados de busca e apreensão em São Paulo, Goiânia e Fortaleza, cumpridos por 40 agentes da PF. A ação teria como objetivo aprofundar a investigação sobre o senador Eunício Oliveira (MDB), presidente do Senado.

O senador não é alvo de nenhuma diligência e nega que pessoas ligadas sejam alvos de busca e apreensão.

O senador é alvo de inquérito no Supremo, aberto em abril de 2017, que o investiga por supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

A finalidade das medidas é buscar documentos e outros elementos de aprofundamento da investigação, considerando a notícia de doações de campanha abalizadas através de contratos fictícios. A operação é decorrente de delação do ex-diretor de Relações Institucionais da Hypermarcas, Nelson Mello.

Segundo Mello, na eleição de 2014,  foram pagas “despesas de empresas que prestavam serviços à campanha de Eunício Oliveira” por meio de “contratos fictícios” no valor total de 5 milhões de reais. As empresas que teriam recebidos os valores por meio dos contratos fraudulentos seriam a Confirma Comunicação e Estratégia, a Campos Centro de Estudos e Pesquisa de Opinião e Confederal Prestadora de Serviços de Vigilância e Transporte de Valores, de propriedade dda família de Eunício.

Inclusive, um dos mandados da operação desta terça-feira foi cumprido na sede Hypera Pharma, novo nome da Hypermarcas. Eles mudaram de nome em fevereiro por decisão da assembleia geral extraordinária da empresa.

‘Que denúncia? Não sei de nada’, diz Eunício sobre operação da PF

Em 2016, Mello afirmou em seu depoimento à Procuradoria-Geral da República que pagou R$ 30 milhões a dois lobistas com trânsito no Congresso para efetuar repasses de propinas milionárias para senadores do então PMDB, entre eles o ex-presidente do Congresso, Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR) e Eduardo Braga (AM).

COM A PALAVRA, A HYPERA PHARMA

Nesta manhã, há operação de busca e apreensão no escritório da Companhia em São Paulo para colher documentos relacionados à colaboração do ex-diretor de Relações Institucionais da Companhia, Nelson Mello.

A Companhia reitera que não é alvo de nenhum procedimento investigativo, nem se beneficiou de quaisquer atos praticados isoladamente pelo ex-executivo, conforme já relatado ao longo do ano de 2016 em vários comunicados.

COM A PALAVRA, EUNÍCIO

O senador Eunicio Oliveira, por meio de sua assessoria, informa:

Ele não foi alvo da Operação Tira-Teima. Tampouco pessoas ou empresas ligadas a ele foram alvo, ou sequer abordadas, na ação realizada na manhã dessa 3a feira 10/04.

Manchete RC com conteúdo do Estadão!