MPCE requer anulação do processo seletivo de profissionais temporários da Prefeitura de Quixeramobim

Prefeitura_quixeramobim2015O Ministério Público do Estado do Cerá (MPCE), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Quixeramobim, ingressou com uma Ação Civil Pública (ACP), na última sexta-feira (20/10), requerendo liminarmente a suspensão dos contratos temporários da Prefeitura municipal, oriundos do processo seletivo simplificado do Edital n.º 005/2017; e, como pedido final, a anulação de toda a seleção, tendo em vista a juntada de provas e elementos suficientes para evidenciar irregularidades no certame.

Segundo a ação, ocorreram “irregularidades das mais variadas formas, desde a fase interna da seleção até a nomeação dos aprovados, alguns deles em violação a candidatos de concurso público vigente no município”. O promotor de Justiça Vicente Anastácio Martins informa que a Promotoria recebeu incontáveis denúncias de fraude, favorecimento, conluio, desvio, improbidade e corrupção, e as provas foram reunidas em inquérito civil que dá embasamento à ação do órgão ministerial. Ele destaca, ainda, que a Promotoria de Justiça tem realizado, em média, cinco atendimentos diários única e exclusivamente para tratar de irregularidades da mencionada concorrência simplificada, tendo como enredo, em suma, irregularidades na inscrição, desvios na contagem dos pontos para favorecimento de apaniguados.

Algumas das irregularidades encontradas foram a ausência de previsão de conteúdo programático, ausência de informações sobre a prova, ausência de previsão de vagas para portadores de deficiência, contradições na contagem dos pontos referentes à titulação, utilização de critérios exclusivamente subjetivos de seleção, nomenclatura e atribuição de cargos modificados ou manipulados para não coincidir com a denominação e atribuição de cargos do concurso público vigente, ausência de publicidade da portaria que nomeou a Comissão para realização do concurso, dentre outras.