Manifestação a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ocorre também em Quixadá

Região Central: Nesta quarta-feira (24), manifestantes realizam atos pelo Brasil em diversas cidades, entre elas, Quixadá. Hoje, ocorre o julgamento do recurso de apelação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre.

Lula foi condenado pelo juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal em Curitiba, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância. O ex-presidente recorre em liberdade da sentença de 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A defesa nega as acusações e pede ao TRF-4 a absolvição do ex-presidente. Já o Ministério Público Federal (MPF) pede o aumento da pena de Lula.

Em Quixadá, o ato em defesa de Lula fez concentração na Praça Coronel Nanan, em frente ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais do Município, logo depois, os manifestantes seguiram por ruas principais da cidade, se parando na Praça da catedral. Eles alegam que Lula não está sendo julgado com objetivo de ser retirado da disputa eleitoral de 2018, inclusive lidera as pesquisas de opinião pública.

Conforme apurou o G1, Ceará, manifestantes se reúnem desde o começo da manhã na Praça General Murilo Borges, em frente à sede Justiça Federal, no Centro de Fortaleza, em apoio ao ex-presidente Lula. Conforme a PM, até o momento, o ato é considerado pacífico.

Um trecho da rodovia BR-402, na cidade de Itapipoca, foi bloqueado nesta manhã. Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), cerca de 100 pessoas do Movimento Sem Terra (MST) participaram do ato; a organização não teve estimativa. Ato foi em defesa do ex-presidente Lula. Por volta das 11h, equipes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Militar foram acionadas e enviaram equipes que ajudaram a liberar a rodovia.

O ato em Quixadá recebeu lideranças da região, como o ex-prefeito de Canindé Celso Crisóstomo, prefeito em exercício de Quixadá João Paulo de Menezes,  vereadores e secretários. O ato está sendo organizados por centrais sindicais e pelo PT.