Impunidade: Acusado de matar universitário em Quixeramobim se apresenta a polícia e é liberado

Alyson Firmino da Silva é acusado de matar universitário João Emmanuhel, no dia 18/05/2018

Região Central: O acusado de matar o universitário João Emmanuhel de Sousa Oliveira, 19 anos, no último dia 18, na cidade de Quixeramobim, supostamente por ciúmes de sua namorada, está solto e deve responder o crime em liberdade. O acusado se apresentou a autoridade policial.

Conforme as informações, o acusado de ser o autor do crime, Alyson Firmino da Silva, 20 anos, se apresentou por volta das 18h desta segunda-feira(21), no 7º Distrito Policial na cidade de Fortaleza. Como ainda não havia mandado de prisão preventiva, ele foi ouvido pelo delegado plantonista daquela delegacia e, em seguida liberado.

Horas depois de se apresentar na Polícia Civil, Alyson Firmino foi abordado por policiais uma residência, pasmem, se balançando em uma rede como se nada tivesse acontecido. Esses policiais não sabiam que ele já tinha se entregado e sido liberado. Na ação, Alyson Firmino apresentou o boletim da ocorrência.

O crime

O bárbaro crime, possivelmente motivado por ciúmes, chocou a população de Quixeramobim e região na noite da última sexta-feira (18), por volta das 23h30m, na rua E, bairro COHAB. Populares ainda ouviram gritos da namorada do criminoso, mas não foram suficientes. As vítimas estavam assistindo um filme, com ciúmes, o homem acabou cometendo o crime.

Alyson Firmino mediante o uso de uma faca, desferiu sete facadas no universitário, que não resistiu aos ferimentos, já a namorada do autor sofreu duas perfurações e passa bem.

O jovem João Emmanuhel estudava atualmente na Universidade Federal do Ceará, no campus de Quixadá, onde cursava Engenharia de Software. João também já havia passado pelo curso de Direito da Unicatólica. Segundo o pai da vítima, o jovem também era um bom músico e falava inglês fluentemente.

Matéria Relacionada: Ciúmes: Estudante é morto a facadas por namorado de sua amiga, em Quixeramobim

Sobre a apresentação espontânea ao delegado, no caso, não restava efetuar a sua prisão em flagrante, tendo em vista que o art. 302, do Código de processo Penal diz que somente considera-se em flagrante delito quem: I – está cometendo a infração penal; II – acaba de cometê-la; ou III – é perseguido, logo após, pela autoridade, pelo ofendido ou por qualquer pessoa, em situação que faça presumir ser autor da infração; ou IV – é encontrado, logo depois, com instrumentos, armas, objetos ou papéis que façam presumir ser ele autor da infração.

O caso deixa a população revoltada com o tamanho da barbaridade e pede que esse indivíduo seja retirado de circulação, inclusive, para a garantia da ordem pública.

O universitário João Emmanuhel de Sousa Oliveira estudava na UFC Quixadá