“Farra dos caixões”: Prefeitura de Canindé pretende gastar meio milhão com 648 urnas funerárias

Região Central: Mais uma gestão entrou na “farra dos caixões”, dessa vez, a Prefeitura Municipal de Canindé. A prefeita pretende investir mais de meio milhão de reais em contratações dos serviços de embalsamento, traslado e aquisição de urnas funerárias para eventuais benefícios de interesse da Secretaria de Ação Social do município.

A Prefeitura de Canindé deve comprar 534 mortalhas feminina e masculina, entretanto, a licitação consta 648 (sessenta e quarenta e oito) urnas funerárias (caixões). Além de 12.500 quilômetros de translado dos corpos.

Só em caixões masculinos adultos serão mais de R$ 200 mil reais, no total de 180 caixões.

O contrato foi assinado pelo Secretário de Ação Social José Márcio Silva Sousa com a empresa Distribuidora e Serviços ou simplesmente Antonio de Paula Gomes de Almeida. Chama atenção que a atividade principal não é funerária, mas o comércio varejista de artigos de papelaria, conforme a Receita Federal.

É bem verdade que a absurda quantidade de caixões não é obrigatória ser pago, mas demonstra a falta de planejamento da gestão com o dinheiro público.

Essas urnas funerárias devem ser destinadas para mortos cujas famílias são de baixa renda e que não tenha planos funerários ou condição de pagar o funeral. Normalmente, por ano, a Prefeitura de Canindé não fornece mais do que 100 urnas, o que compra a desnecessidade de 648.

Veja detalhes da licitação