Em Londres, Filho de Sérgio Machado gasta R$ 90 milhões, dinheiro desviado do Petrolão

sergio_machadoA assessoria defende através de nota, que Expedito entregou a relação de todos os bens e ativos ao MPF.

Expedito Machado, filho do ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, investiu 21 milhões de libras (R$ 90.26 milhões) em negócio imobiliários em Londres, entre 2014 e 2015. A informação foi publicada nesta quinta-feira (28), pelo jornal inglês The Guardian. 

A verba para a compra dos imóveis – edifícios de escritórios da City londrina, na Fleet Street, rua central de Londres, um apartamento em Mayfair e um terreno ao do canal da zona portuária de Leeds – foi adquirida através dos desvios do pai à frente da Transpetro. 

Em delação premiada, Expedito confirma ter auxialiado o pai a utilizar o cargo no comando da Transpetro para coletar de empreiteiros. Entre 2007 e 2012, a família depositou, em conta do HSBC, R$ 72 milhões. Em 2013, o dinheiro foi transferido para fundos de investimentos, no banco suíço Julius Baer. 

Imóveis 

Entre 2014 e 2015, Expedito passou a transformar os “ativos” em propiedades, investimentos em imóveis pela Europa através de trustes. Os imóveis de Expedito estão em nome de empresas de fachada: GTD Properties Limited, CDP Properties Limited, que pertence à The Noronha Trust; PDB Properties Limited, que pertence a The Boldro Trust. 

Defesa 

A assessoria defende através de nota, que Expedito entregou a relação de todos os bens e ativos ao Ministério Público Federal, incluindo todas as companhias imobiliárias citadas na matéria do The Guardian. Confira a nota na íntegra. 

“Na ocasião de sua colaboração, Expedito Machado Neto entregou ao Ministério Público Federal a relação de todos os seus bens e ativos, incluindo todas as companhias imobiliárias citadas na matéria do The Guardian. Todos os esclarecimentos foram prestados ao Ministério Público Federal e ao Poder Judiciário. Ainda conforme a própria matéria, Expedito tinha uma vida empresarial independente e, em 2012, alienou o seu sistema de ensino com mais de 50 mil alunos e 200 escolas a uma importante empresa do setor. 

A publicidade dos sigilos fiscal e bancário de Expedito é ilegal e inconstitucional, devendo-se ressaltar que o levantamento do sigilo dos autos foi determinado relativamente à informações de interesse público, a saber, aos depoimentos prestados, às gravações apresentadas e aos pedidos de prisão formulados.” 

Maurício Moreira
Com informações do The Guardian