Educação ambiental: Alunos realizam mutirão de limpeza no açude Banabuiú

A quantidade de lixo que ‘roubava’ a beleza da barragem do Açude Banabuiú e que ofuscava a visão de turistas do reservatório, foi recolhida em uma ação educativa, na manhã desta quarta-feira (9), por alunos do Estado e de escolas do município. A iniciativa foi organizada pela Secretaria de Agricultura, Recursos Hídricos e Meio Ambiente da cidade.

Cerca de 50 alunos do Liceu de Banabuiú e da Escola de Tempo Integral de Ensino Fundamental irmã Ruth Távora de Albuquerque, participaram da ação. Munidos de luvas de proteção, máscaras e sacos de lixo, eles recolhiam os entulhos que circundavam a parede do açude. Garrafas, pedaços de papel, latas, vidro e outros objetos descartáveis foram recolhidos pelo grupo.

De acordo com o Secretário de Agricultura, Romário Lima, a ação visou sensibilizar os alunos para os cuidados com a preservação da natureza que cerca o Arrojado Lisboa, além de conscientizar para a importância do descarte correto do lixo. “O açude é maior bem de nosso município, temos que zelar por ele, e nosso trabalho no campo dos recursos hídricos, é chamar a atenção da população para que eles entrem nessa luta com a gente, e entendam que essa missão é de todos nós, e se faz por todos nós”, garantiu Romário Lima.

Placas com frases que remetem ao cuidado com a natureza e as práticas sustentáveis foram espalhadas nos arredores da parede do açude. Lixeiras especiais foram instaladas em pontos estratégicos, visíveis para turistas e visitantes, garantindo um apoio ao lixo que é gerado no local.

Além das noções de cuidado com o meio ambiente, os alunos também puderam conhecer um pouco da história do açude. Informações curiosas chamaram a atenção do grupo, como a capacidade do açude (1.500.000.000m³) e a altura máxima que a água pode chegar nas comportas (11,57m).

O prefeito do município de Banabuiú, Edinho Nobre, garantiu apoio à iniciativa. Ele afirmou que a ação é importante do ponto de vista ecológico, mas também chamou a atenção para a ação gerada por cada um. “É importante entender que essa é uma ação de cada um de nós. Não adianta fazer isso, e a população não se conscientizar e voltar a sujar de novo.

Lixo é algo que deve ser combatido, e nenhum governo faz isso sozinho: o povo precisa se engajar nesse objetivo. Só assim os resultados aparecem”, disse Edinho Nobre.