Detentos ateiam fogo durante rebelião, inalam fumaça e passam mal, em Quixadá

Detentos foram controlados por policiais militares após rebelião em delegacia — Foto: Alex Pimental/Agência Diário

Um grupo de presos passou mal após incendiar papel, papelão e plástico durante uma rebelião na Delegacia Regional de Quixadá, na tarde desta terça-feira (16). De acordo com delegado regional Marcus Vinicius Damasceno, titular da unidade, os detentos protestavam contra a demora da transferência de presos do local para outras unidades.

Ainda conforme o delegado, um grupo de 15 presos iniciou um tumulto e incendiou o material que eles usam como colchões improvisados, já que os colchões da delegacia haviam sido destruídos em outro motim.

Os delegados plantonistas que estavam na unidade no momento do ato solicitaram reforço da Polícia Militar, que controlou a manifestação cerca de meia horas depois. Equipes do Batalhão de Rondas de Ações Intensivas e Ostensivas (Raio) utilizaram gás lacrimogêneo para controlar os presos, que ameaçavam reagir com violência, conforme a Polícia Civil.

Os amotinados foram retirados das celas e mantidos no pátio interno até a fumaça se dissipar. Pelo menos quatro presos passaram mal por inalarem a fumaça do incêndio; eles foram atendidos por profissionais do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), passam bem e tiveram alta.

Conforme o Samu, os detentos também sofreram irritação nos olhos com o spray de pimenta, utilizado por policiais para conter o ato violento, de acordo com Marcus Vinicius.

Ainda conforme o delegado, a unidade abriga presos de facções rivais e “há risco de iniciar uma briga violenta” entre os detentos, por isso foi solicitada uma transferência de parte deles. Ele esclarece que depende de uma decisão judicial para realizar a transferência.

Conteúdo: G1 CE