“Conselho Tutelar Itinerante” tenta reduzir casos contra crianças e adolescentes em Quixadá

Conselheiros estão indo nas comunidades levando materiais educacionais (foto: divulgação)

Região Central: Anualmente o Conselho Tutelar do município de Quixadá lança uma ação para ser trabalhada pelos seus agentes. Em 2016 foi municiar as 55 escolas da rede pública de ensino com estatuto da criança e a do adolescente e Constituição Federal, os conselheiros foram nas unidades escolares e conversaram os estudantes.

Já em 2017, foi realizado o lançamento de uma biblioteca dentro do Conselho Tutelar para todos da sociedade que buscam informação, no mesmo ano comemoraram o aniversario do Estatuto da Criança e do Adolecente-ECA no Museu Jacinto de Souza, com o coral da escola da Várzea da Onça e a peça apresentada pelo artista Hotom, tirado do livro de Angélica Nogueira intitulado ‘menino de rua’.

Para este ano, o “Conselho Tutelar itinerante” visa atender todos os distritos de Quixadá, o primeiro visitado foi no dia 06, no Custódio e depois Califórnia. “Na ocasião houve atendimento, orientação e distribuição de material educativo. Esse material foi solicitado no site plenarinho da Câmara dos Deputados, são livrinhos educativos para crianças que aborda diversos temas (trabalho infantil, exploração sexual e outros)”, disse o conselheiro Gilmar Júnior.

Sem dúvida, ações dessa natureza aproxima o Conselho Tutelar das crianças, adolescentes e também dos pais, os quais podem motivar as vítimas a creditar confiança, principalmente em abusos sexuais praticados no seio familiar.

Estatística

No ano passado o Conselho Tutelar de Quixadá atendeu 97 denúncias por telefone e 226 demandas espontâneas na sede. Eles requisitaram matriculas para 14 crianças e adolescentes, além de solicitação de 16 pedidos de certidões negados pelos cartórios. Os Conselheiros fizeram ao todo 208 visitas a domicilio, atendendo casos de natureza diversa.

Casos de negligência de país foram 21; abuso sexual 18; violência física 21; situação de risco 21; exploração sexual 3; maus tratos 14.

Segundo o Conselheiro, todos os casos são encaminhados para o Ministério Público e ao Poder Judiciário.