Bastidores da imprensa: Radialista tem o bordão mais famoso da região Central: “cumaé homi”

Radialista Franco Lima no estúdio da Radio Monólitos – programa “Comando 190” – (foto: RC)

O radialista Francisco Lima de Sousa, 63 anos, natural de Juazeiro do Norte e quixadaense por lei, é sem dúvida um desconhecido, mas seu nome artístico, todos sabem quem é, afinal, Franco Lima tem o bordão mais conhecido do radio interiorano: “cumaé homi”.

Durante entrevista ao portal RC, após o seu programa policial líder de audiência na Rádio AM Monólitos de Quixadá, Franco Lima fez um histórico de sua vida, voltado aos microfones. Iniciou em 1980, em uma emissora na cidade de Juazeiro do Norte, depois foi trabalhar na Rádio América de São Paulo, passou pela Radio Planalto, no Distrito Federal.

O radialista conta ainda, que na década de 1990, veio a Quixadá participar de uma campanha política dedicada aos proprietários da rádio, os quais eram candidatos. “Gostei e aqui estou”, diz sorridente.

A frente do programa policial “Comando 190”, na AM Monólitos, sempre de 13h às 14h, de segunda a sexta-feira, Franco destaca que o espaço é contratado e por isso tem a liberdade de falar o que bem quer.

Mas algo nenhum radialista conseguiu tão popular, o bordão: “cumaé homi”, que quase sempre fala após as suas noticiais policiais, tornando algo corriqueiro entre os seus ouvintes.

Franco Lima explica que tudo começou, quando fez uma denuncia grave contra um vereador, na década de 90. “Esse vereador foi a Tribuna da Câmara, e disse que eu estava lhe ‘prerseguindo’”. No programa, o comunicador ironizou pelo erro do político, dizendo nos microfones da radio: “cumaé homi”, logo se espalhou entre seus ouvintes.

A vinheta de seu programa também chama a atenção: “Quem tem rabo de palha, não se meta comigo, é que mato tem olho e parede tem ouvido“.

Quem quiser patrocinar o programa, basta entrar em contato com o radialista: (88) 9 9605-0419.