Assista na íntegra: Mulher com balde na cabeça retrata a cena do sertão de Quixadá, no JN da TV Globo

jornal_nacional_o_quinzeajornal_nacional_o_quinze“Só quem é forte, quem tem coragem consegue resistir”, diz o repórter Felipe Santana, enviado pela emissora a Quixadá.

O Jornal Nacional refez o trajeto do personagem Chico Bento, do livro de Rachel de Queiroz, para mostrar a região que sofre com a seca no Ceará. 

Nesta segunda (28) o jornal apresentou a primeira matéria com inicio na casa da escritora Rachel de Queiroz, na localidade de Daniel de Queiroz, no município de Quixadá. A série continua na terça e termina na quarta-feira, 30.

Idelfonso Cavalcante foi entrevistando trabalhando em um lugar seco. Como um nordestino, não desiste e nem larga a roça. Tem hora que a gente num sabe mais o que faz da vida. Por que a gente é pai de família e você sabe, né? A gente sendo pai de família que cada dia que se passa a gente tem que arrumar o pão dos filhos, né? Se não arrumar aí o negócio fica feio”.

Uma mulher com um balde na cabeça retrata a cena do sertão de Quixadá. A agricultora Maria Isabel  Barbosa foi a protagonista da triste imagem. ”Deus não mandou chuva pra gente”, lamenta a agricultora, o açude de onde ela pegava água secou. Tudo em volta secou

A batalha diária é para saber de onde vai tirar a água para beber. Arroz e feijão todo dia, só por causa da aposentadoria rural, porque a terra do quintal virou poeira.

“Não foi ainda este ano que a gente plantou e não deu nada. A pessoa quando tem raiva não sobe o sangue na cabeça? Pois é, é isso”, diz a agricultora.

Francisco José de Deus mostrou um campo sem nada, totalmente limpo, devastado pela estiagem. Ele chora ao relatar. “Isso aqui no ano passado, num tempo desse, era tudo verdinho, tudo verdinho. Este ano por causa da seca que é grande, tá tudo seco e sem nada. Não tem nada. Nessas áreas de chão não tem nada. Tudo se acabando sem nada, mas tudo mesmo se acabando sem nada. Ninguém vê nada”, conta o agricultor Francisco José de Deus.

Francisco roçou, cavou, semeou, cuidou, mas na hora de colher: nada. “A coisa mais difícil que eu já vi na vida? Vou já lhe falar, sério. Foi essa seca que nós estamos nela. Nunca na minha vida eu vi passagem ruim como tem essa”, lembra Francisco.

Assista a reportagem na íntegra através do portal G1 (AQUI)