Absurdo: Mulher morre por falta de atendimento médico em Ibaretama, denuncia moradora

O Antonio Cavalcante de Queiroz está em estado de abandono (foto: arquivo Revista Central)

Região Central: O descaso na saúde pública de Ibaretama é sem dúvida caso de polícia, mas naquele município não tem nenhuma fiscalização para combater as mazelas de uma administração voltada para o desmando público. Você vai ouvir o relato de uma moradora que faz uma grave denúncia.

A fala é de uma cidadã da localidade de Lajedo, zona rural. Ela denunciou na rádio Natividade, no programa apresentado por Karpegeanne Vieira.

Uma mulher teria morrido por falta de atendimento médico. Segundo a denunciante, não havia médico no Hospital de Ibaretama no momento em que a paciente chegou. Para agravar, se quer tinha uma ambulância para fazer o socorro a Quixadá. A vítima morreu na estrada quando era levada por particular.

“Queria fazer uma reclamação, aqui no Lajedo, a minha vizinha passou mal e a gente ligou para o hospital de Ibaretama pedindo ambulância com balão de oxigênio, por que a mulher já estava muito mal. Eles informaram que não tinha uma ambulância”, denunciou a ouvinte.

Acrescenta: “aí tudo bem, a gente pegou a vizinha colocou em um ônibus, quando chegou no hospital de Ibaretama,  a mulher tava morrendo. Eles disseram que não tinha médico e teria que transferir”. No hospital municipal os funcionários teriam negado dar o encaminhamento para ser levado a Quixadá.

Desesperado e percebendo a situação, o homem que socorreu a vítima no ônibus, colocou a mulher novamente no veículo e seguiu com destino a Quixadá. “Quando chegou ali mais ou menos pela Rampa, a mulher faleceu, quando chegou em Quixadá foi outro sacrifício para receber porque não tinha encaminhamento”.

“Queria perguntar o prefeito o que ele tá fazendo?” questiona a moradora revoltada com essa situação.

Há meses a população de Ibaretama conclama por uma ação do Ministério Público, mas até agora, apenas vítimas viram números.

Escute o áudio da denuncia da moradora: