700 ex-alunos da rede pública do Ceará são beneficiados com bolsa universitário

O Ceará consolidou passo pioneiro para a Educação dos jovens do Estado nesta quinta-feira (19). Em evento realizado na sede da Secretaria da Educação (Seduc), ex-alunos da rede estadual assinaram o termo de compromisso para tornar efetivo o recebimento do benefício do Avance – Bolsa Universitário. O programa vai ajudar, através de auxílio financeiro, a melhorar as condições de acesso à universidade dos estudantes egressos do Ensino Médio em escolas públicas estaduais. O governador Camilo Santana presidiu a solenidade, acompanhado da vice-governadora, Izolda Cela, e do secretário da Educação, Idilvan Alencar.

Os beneficiados pelo auxílio receberão uma bolsa no valor de R$ 937,00 durante um semestre do primeiro ano do Ensino Superior – ou a metade desse valor durante doze meses, à escolha do selecionado. Os alunos podem estar matriculados em cursos de graduação de instituições públicas ou privadas credenciadas pelo Ministério da Educação. Camilo Santana destaca que está é uma ação inovadora no Brasil e que será fundamental para o desenvolvimento educacional e a diminuição da evasão escolar entre alunos de baixa renda.

“A nossa ideia é apoiar os alunos da rede pública estadual, para que eles não desistam nunca do sonho de concluir um curso superior. Esse é o papel do Estado. É acolher, proteger, estimular, incentivar. Essa é uma política pioneira e inovadora que estamos começando no Ceará, e queremos ampliar cada vez mais para garantir oportunidades para os jovens cearenses”, disse o governador.


Estudantes

Nesta etapa inicial do Avance, 748 estudantes atingiram os critérios exigidos na seleção. Destes, 734 estudam em instituições localizadas no Ceará. O restante está na Paraíba (8), Piauí (4), Rio Grande do Norte (1) e São Paulo (1). Em 2017, o Avance foi destinado a 1.000 estudantes. Conforme aponta o edital, o candidato precisa ser de família beneficiária do Programa Bolsa Família do Governo Federal; ter obtido média igual ou superior a 560 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem); ter se formado nos últimos 2 anos na rede pública estadual; e estar cursando o primeiro ano do ensino superior em qualquer instituição pública ou particular.

Para cursar Serviço Social na Universidade Estadual do Ceará, Nara Gabrielle, 18, precisou se mudar de Canindé para Fortaleza. Os custos com moradia, alimentação, transporte e material escolar se tornaram grande preocupação para sua família no Interior. Ao assinar o termo do auxílio do Governo do Ceará nesta quinta-feira, a universitária renovou forças para continuar até o fim o sonho de concluir o curso superior.

“Esse programa será de fundamental importância. Muitos dos alunos de escola pública que passam na faculdade não têm como se manter. Por mais que a universidade seja pública, tem todo um custo. A gente gasta com comida, transporte, xerox, livros. Então esse investimento do governo já ajuda bastante. No meu caso, a família em Canindé vai ficar mais aliviada com minha situação em Fortaleza, que é uma cidade de custo de vida bem mais alto”, celebrou.

Estudante de Geografia na Universidade Federal do Ceará (UFC), Victor Reis, 20, conta que os alunos terão melhor cenário para se organizar no começo do Ensino Superior. “Eu sofri muita dificuldade por conta da questão financeira. Minha família não tem tantos recursos e a questão de transporte e gastos com material da faculdade é um impasse muito grande. Agora os estudantes podem ingressar de uma forma mais tranquila nos cursos”.