IFCE Campus Quixadá vai realizar feira de ciências para debater o que e como o brasileiro se alimenta

Cenário da segurança alimentar no País será discutido através de trabalhos científicos de alunos (Foto: reprodução internet)

Quixadá: As questões de ordem político-sociais devem pautar a segunda edição da Feira de Ciências do campus de Quixadá do Instituo Federal de Educação do Ceará (IFCE). Programada para ser realizada em outubro, o evento vai vai debater o que e como o brasileiro se alimenta no País.

O evento ocorre como parte da programação da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, realizada anualmente no campus. A temática deverá ser discutida em trabalhos científicos produzido e apresentado por alunos dos cursos ofertados no campus, nas áreas de ciências exatas, biológicas, humanas, linguagens e disciplinas técnicas.

A discussão em torno do tema alimentação ocorre no exato momento em que foi divulgado o recente relatório sobre o panorama da fome no Brasil. Divulgada no início de junho a pesquisa feita pelo Instituto Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), apontou que 33 milhões de pessoas estão em insegurança alimentar grave.

Feita entre novembro de 2021 e abril de 2022, a partir de entrevistas feitas em 12.745 domicílios, distribuídos em áreas urbanas e rurais de 577 municípios das 27 unidades da federação – 26 estados mais o Distrito Federal, a pesquisa apontou constatou um cenário alarmante: 58,7% da população vivem com insegurança alimentar, equivalente ao patamar da década de 1990. A metodologia da pesquisa considerou a Escala Brasileira de Insegurança Alimentar (Ebia), a mesma utilizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para mapear a fome no país.

No IFCE de Quixadá, para a inscrição, cada equipe deverá ter exatamente cinco estudantes que deverão ser alunos do mesmo curso integrado independente do semestre que estejam cursando. As inscrições serão realizadas em dois momentos: das equipes, com indicação do professor orientador e envio do projeto de trabalho neste link até dia 30 de junho; e o resumo do projeto, até 15 de outubro, através do site da instituição.

De acordo com os organizadores, a Feira se faz importante como um espaço de “socialização das produções de conhecimento e manifestações científicas nas diversas áreas do saber”. Além disso, a atividade busca “estimular a investigação e a busca de conhecimento de forma cotidiana e integrada com toda a comunidade escolar” e “estabelecer relações dinâmicas dos conhecimentos específicos das disciplinas das bases comum”.