Pai de sete filhos em Quixadá busca ajuda depois de perder a mulher e ficar sozinho; saiba como contribuir

O pai está sendo acompanhado pelo serviço assistencial do município (Foto: divulgação redes sociais)

Quixadá: Após perder a esposa, um pai de família está precisando de ajuda em Quixadá. Ele está desempregado e precisa criar sozinho os sete filhos, depois que sua companheira não resistiu e morreu em decorrência de ferimentos provocado por um acidente de moto. Entre os filhos está uma criança que ainda era amamentada e uma que possui necessidades especiais e vive em uma cadeira de rodas.

As fotos se espalharam nos últimos dias através de redes sociais de Quixadá e comoveu toda a cidade, e novos detalhes sobre a condição de vida da família foram divulgados pelo repórter policial Washington Luiz, o Caveirão. “Vamos ajudar essa família! Sete crianças precisando agora de nossa ajuda”, escreveu o comunicador em suas redes sociais.

Conforme os detalhes repassados pelo Caveirão a mãe das crianças era Lídia da Silva Lima, de 32 anos. Ela voltava com o esposo de moto quando caíram depois de tentar desviar de uma pessoa, no trecho que dá acesso ao Residencial Rachel de Queiroz. Lídia sofreu uma forte pancada na cabeça na pista, foi internada no Instituto Dr. José Frota (IJF), mas não resistiu.

A família mora na localidade de Pote Seco e agora o homem precisa de ajuda para sustentar os filhos. Sete crianças ficaram sob a única responsabildiade do pai, que no momento está desempregado. O maior entre os sete tem apenas 12 anos, e a menor tem pouco mais de um ano, e ainda mamava. Uma das crianças necessita de cuidados especiais e utiliza uma cadeira de rodas. Quem visita a família, garante que a situação é dramática: os menores chamam pela mãe. A bebê, ainda sem falar direito, balbucia por mamãe e sente falta da amamentação.

De acordo com a secretária de desenvolvimento social de Quixadá, Izaura Gomes, a família vem sendo acompanhada pelo Centro de Referência da Assistência Social (Cras). “Hoje a psicóloga fez a visita, a família estava muito aflita e de pronto já levamos uma cesta básica. O Conselho Tutelar deve fazer uma companhamento, enfim, todo o trabalho da rede assistencial está sendo feito e veremos que encaminhamentos específicos serão oferecidos à família”, explicou Izaura Gomes.

O único rendimento da família vem dos benefícios assistenciais concedidos pelo Governo Federal, como o Auxílio Brasil e o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que algumas das crianças recebem. A SDS também cedeu uma urna funerária para que o velório da mulher pudesse ser feito conforme os rituais religiosos.

A nutricionista Alysca Meneses está se mobilizando para organizar arrecadações em prol da família. Mais cedo, nesta sexta-feira (13), ela compartilhou em storys através de seu perfil em uma rede social, informações para assegurar aos que desejarem ajudar, de que todos os valores estão sendo repassados à família. O RC tentou entrar em contato com a mulher pelo telefone, mas as mensagens não foram retornadas. Os interessados devem entrar em contato com Alysca através do número: (88) 98191-7106