Ministério da Saúde investiga suspeita da variante Ômicron em paciente brasileiro que veio da África do Sul

Passageiro chegou da África do Sul no sábado (27) e está em isolamento (Foto: Rovena Rosa/Agencia Brasil)

O Brasil está investigando um paciente que desembarcou na última semana da África do Sul e que testou positivo para a Covid-19. A África é um dos países onde existe o surto da nova cepa do coronavírus, identificada como Ômicron. Por isso as autoridades sanitárias brasileiras estão monitorando o caso que é considerado delicado.

Neste domingo (28) a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) lançou uma nota dando detalhes sobre o monitoramento do paciente e como ele foi testado. De acordo com a Agência o paciente chegou da África no último sábado (27) e desembarcou no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos.

Conforme a nota “o passageiro em questão chegou ao Brasil com teste negativo, assintomático. No entanto, após sua chegada, a Anvisa foi informada às 21h12 do dia 27/11 sobre o resultado positivo de novo teste de RT-PCR, realizado pelo laboratório localizado no aeroporto de Guarulhos”.

Após a identificação e testagem com resultado positivo para Covid-19, o paciente foi colocado em isolamento e já cumpre quarentena residencial. Os órgãos de saúde estadual e municipal passam a fazer o monitoramento do caso. O Ministério da Saúde acompanha o caso, mas ainda não está confirmado que ele tenha sido infectado com a variante Ômicron.

Após recomendação da agência, voos com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pela República da África do Sul, República de Botsuana, Reino de Essuatíni, Reino do Lesoto, República da Namíbia e República do Zimbábue estão proibidos.

A agência também recomendou, neste sábado, que Angola, Malawi, Moçambique e Zâmbia fossem incluídos na lista de países sujeitos a restrições.

De acordo com a Portaria vigente, o viajante brasileiro procedente ou com passagem pela República da África do Sul, República do Botsuana, Reino de Essuatíni, Reino do Lesoto, República da Namíbia e República do Zimbábue, nos últimos quatorze dias antes do embarque, ao ingressar no território brasileiro, deverá permanecer em quarentena, por quatorze dias, na cidade do seu destino final.