Professora vai fantasiada com cauda de jacaré para vacinação em Quixeramobim e critica: ‘não há trégua’

Professora Neyliane Olveira na fila para tomar a primeira dose em Quixeramobim durante a manhã desta sexta-feira (11). (Foto: Reprodução)

Em Quixeramobim, a professora Neyliane Oliveira decidiu ir fantasiada com uma cauda de jacaré para tomar a vacina contra a doença causada pelo novo coronavírus durante a manhã desta sexta-feira (11). Ela recebeu a primeira dose do imunizante da AstraZeneca/Oxford.

A professora Neyliane explicou em seu perfil nas redes sociais que sua atitude é uma sátira a um discurso feito pelo atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, ao imunizante produzido pelo Instituto Butantã no Brasil, a CoronaVac. Em dezembro do ano passado, o presidente disse: “Se virar jacaré é problema seu”.

Neyliane publicou: “A sátira foi o caminho escolhido pra hoje. Creio na ciência, no SUS e em dias melhores. Sou grata”. Ela também relembrou o momento delicado em Quixeramobim ao comentar sobre a morte de uma colega de profissão: “Estar viva é um ato de resistência. Um turbilhão de emoções passa por mim hoje: euforia, alegria, tristeza, gratidão, revolta. Não há trégua. Nesse exato momento uma família aqui no município sepulta uma colega de profissão, um ser humano cheio de vida e sonhos e que não teve oportunidade de ser imunizada. Vacinas salvam”.

O município de  Quixeramobim é o que acumula mais mortes em decorrência da Covid-19 no Sertão Central. Até quinta-feira (10), já são 200 óbitos confirmados desde o início da pandemia e outras 15 mortes estão em investigação.