Polícia Civil apreende computadores e celulares de advogada que trabalhava na Prefeitura de Quixadá

PCCE deflagra operação “Stalker” e cumpre mandados em Quixadá e Pedra Branca (foto: divulgação)

Região Central: Uma operação deflagrada pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), nessa segunda-feira (14), resultou no cumprimento de três mandados de busca e apreensão nos municípios de Quixadá e Pedra Branca, pertencentes à Área Integrada de Segurança 20 (AIS 20). A operação “Stalker” foi realizada com o objetivo de investigar um caso de perseguição na internet, ocorrido na região. O crime foi noticiado pela vítima por meio de um Boletim Eletrônico de Ocorrência (BEO).

Após a denúncia registrada pela vítima, a Polícia Civil deu início às investigações para apurar o caso de “stalking”, ou seja, a perseguição a uma pessoa por meio de perfis falsos em redes sociais, no município de Quixadá. As equipes policiais iniciaram as diligências e obtiveram informações a respeito da origem das mensagens de cunho pessoal que eram enviadas diariamente até mesmo por SMS.

A partir das apurações realizadas pelos policiais civis, foram expedidos três mandados de busca e apreensão, que foram cumpridos durante operação realizada nos municípios de Quixadá e Pedra Branca. O objetivo da operação “Stalker”, como foi nomeada, é apreender dispositivos que possam ter sido utilizados na prática criminosa. A PCCE também investiga a utilização de um chip cadastrado com os dados da vítima para a prática do delito.

Durante a realização dos trabalhos policiais, foram apreendidos equipamentos como aparelhos celulares, CPUs, notebooks e roteadores, que foram levados à Delegacia Regional de Quixadá. Os materiais serão encaminhados à Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) para a devida realização dos trabalhos periciais. As investigações seguem a cargo da Polícia Civil.

Prefeitura de Quixadá

Em entrevista a imprensa local, o Delegado Marcos Renato explicou que o alvo foi uma servidora que atuava na Procuradoria do Município, sendo que, um dos aparelhos que ela utilizada para cometer o crime era também um computador daquela repetição, por isso que a Polícia Civil requereu mandado de busca e apreensão na sede da Prefeitura de Quixadá, o que foi deferido.

O alvo foi uma advogada que trabalhava na Procuradoria do Município, após o caso foi exonerada, segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura.

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia.

As informações também podem ser repassadas para o número (88) 3445-1047, da Delegacia Regional de Quixadá, ou para o WhatsApp da unidade policial, pelo número (88) 98821-6771.