Funceme aponta diminuição de chuvas até sábado; Piquet Carneiro registra maior precipitação nas últimas horas

Centro da cidade de Piquet Carneiro (Foto: divulgação)

Região Central: A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) tem avisado e a previsão tem se confirmado: começou a chover menos no Ceará, como sinal do fim do período chuvoso, que vai entre fevereiro e maio. O órgão afirmou que até este sábado (22) o estado segue com condições meteorológicas favoráveis a chuvas pouco abrangentes, e a tendência é de precipitações pontuais de forma pouco expressivas.

Essa tendência já vinha sendo avisada pela Funceme desde o início da semana. De forma muito cautelosa, o órgão afirmou que as chuvas deveriam ser poucas até quarta-feira (19). Depois, renovou a previsão até o fim de semana, fato que se comprovou pelo que se pode perceber no calendário de chuvas: a última semana foi a que registrou a menor quantidade de chuvas nos municípios.

Nas últimas 24 horas, compreendida entre as sete da manhã de quinta-feira (20) até às sete da manhã desta sexta (21), choveu em apenas cinco cidades do estado. A maior delas foi no Sertão Central, no município de Piquet Carneiro, com 12 mm. As outras chuvas não passaram desse percentual pluviométrico: Acopiara registrou apenas 3 mm enquanto Brejo Santo registrou 2 mm.

Para esta sexta-feira (21), as áreas com maiores chances de registros de chuva são a faixa litorânea, Maciço de Baturité (entre a madrugada e o início da manhã), o sul da região Jaguaribana (tarde) e Cariri (final da tarde e noite). Neste momento, a expectativa é de precipitações de intensidade, majoritariamente, variando entre fraca e moderada. Já para o sábado, a Funceme aponta possibilidade de chuva ao longo do litoral na macrorregião do Cariri entre madrugada e início do dia.

A atual previsão se dá, de forma geral, ao efeito de brisa terrestre e à proximidade de áreas de instabilidade provenientes do oceano Atlântico. No sul do Estado, a fatores físicos locais, como relevo e temperatura, além do posicionamento de uma Frente Estacionária (superfície frontal que separa duas massas de ar com características diferentes e pouco deslocamento) que está entre a Bahia e Sergipe, a qual influencia em maior nebulosidade nas áreas mais ao sul do Ceará.