HRSC atinge capacidade máxima e não dispõe mais de leitos de UTI para tratamento da Covid-19

Fachada do Hospital Regional do Sertão Central

Quixeramobim: O Hospital Regional do Sertão Central (HRSC) de Quixeramobim chegou no vermelho. Todos os leitos de Unidade de Tratamento Intensiva (UTI) da ala de combate à Covid-19, estão ocupados. As informações são da Plataforma integraSUS, mantidas pela Secretaria de Saúde do Estado (Sesa) e atualizadas na manhã desta terça-feira (16).

Na prática isso significa que a partir de agora, pacientes de cidades da região em casos graves de Covid-19 que precisam ser internados em um leito de UTI, deverão ser transferidos para outros municípios via central de regulação.

De acordo com o IntegraSUS, todos os 33 leitos de UTI da ala de Covid-19 foram ocupados. Ontem o Revista Central mostrou que restava apenas um leito disponível, e pelo que mostram os dados, ele teria sido ocupado nas últimas 24 horas. A ala de enfermaria do HRSC também está com 31 dos 4o leitos ocupados.

Para que o atendimento na região não seja colapsado, visto que em Quixeramobim não possui vagas disponíveis, os pacientes poderão ser transferidos a partir de agora para cidades mais distantes, como Canindé ou Tauá.

Desde que a situação da pandemia voltou a se agravar no Ceará como um todo, o HRSC não estava recebendo apenas pacientes da região Central, por isso a ocupação de 100% dos leitos de UTI não significa que todos os pacientes sejam de cidades da região, mas sem dúvidas esse cenário expõe com clareza a preocupante situação da pandemia do coronavírus no Sertão Central.

No auge da pandemia durante o ano passado, uma tenda com leitos improvisados foi montada do lado de fora do HRSC, tamanha era o fluxo de pacientes que davam entrada na Unidade. Nesta terça-feira o governador do estado Camilo Santana anunciou a abertura de novos leitos de UTI no Hospital Leonardo Da Vince em Fortaleza.