Com apenas um leito de UTI vago, ala contra Covid-19 do HRSC está perto da capacidade máxima

HRSC em Quixeramobim possui ala de tratamento exclusiva para Covid-19

Quixeramobim: O principal centro de tratamento e acompanhamento de pacientes com Covid-19 no Sertão Central está perto de chegar a sua capacidade máxima. De acordo com os dados da plataforma IntegraSUS, o Hospital Regional do Sertão Central (HRSC) está apenas 96.97% dos leitos de Unidade de Tratamento Intentiso (UTI) para internados com Covid-19, ocupados.

Os números foram divulgados pelo IntegraSUS e consideram os dados atualizados até o último domingo (14). Com 33 leitos de UTI cadastrados no sistema para receber pacientes por meio de transferência, 32 estão já ocupados. Ou seja, resta apenas um leito para que a Ala Covid-19 do HRSC atinja sua capacidade máxima.

No mesmo hospital dos 40 leitos de enfermaria existentes conforme o IntegraSUS, 30 já estão ocupados, o que corresponde a uma taxa de ocupação na cada dos 75%.

Conforme o IntegraSUS na região do Sertão Central que compreende as áreas descentralizadas da 5ª Região de Canindé e a 8ª Região de Quixadá, não existe nenhum leito de UTI ativo, via sistema, que possa receber pacientes em estado grave para acompanhamento de Covid-19.

Em algumas cidades os leitos de enfermaria que existem já começam a apresentar taxas de ocupação. No Hospital e Maternidade Regional São Francisco, em Canindé, dos 12 leitos de enfermaria, seis estão ocupados.

Os números expõem uma situação delicada que a região vive em relação ao coronavírus. Os hospitais estão lotados e podem chegar à sua capacidade máxima nos próximos dias. Embora os prefeitos da região tenham encontrado nos decretos uma forma de impor limites na população, equipes da Polícia e de fiscalização estão flagrando desobediência e casos de resistência às medidas, o que pode agravar o cenário já delicado.