Novo projeto na Câmara dos Deputados pede prorrogação do Auxílio Emergencial até abril

Chiquinho Brazão: auxílio traz vantagens sociais e econômicas
(Foto: Agência Câmara de Notícias)

A Câmara dos Deputados, mais uma vez, resolve investir na prorrogação do Auxílio Emergencial, o benefício de R$ 600 (R$ 1.200 para mães solteiras) pagos ao trabalhador durante o período de pandemia pelo Governo Federal. Uma nova proposta deve entrar em discussão na casa solicitando que o Auxílio seja prorrogado até abril deste ano.

O Projeto de Lei 5650/20 prorroga o pagamento do auxílio emergencial como medida de enfrentamento à pandemia de Covid-19, com valor de R$ 600, por mais quatro meses, a partir de janeiro deste ano. “Autor do projeto, o deputado Chiquinho Brazão (Avante-RJ) avalia que as vantagens sociais e econômicas trazidas pelo auxílio emergencial devem ser mantidas. “Ainda que de forma temporária, o benefício contribuiu para reduzir o índice de pobreza da população e para manter a atividade econômica”, diz Brazão.

“Caso o auxílio não tivesse sido oferecido desde abril de 2020, o índice de pobreza teria saltado para 36% durante a pandemia. Além da queda de renda da população, o fim do benefício vai afetar a arrecadação de estados e municípios e os pequenos comércios locais”, acrescentou.

Pago desde abril de 2020, sendo as cinco primeiras parcelas de R$ 600 e as quatro últimas de R$ 300, o auxílio emergencial acabou extinto em 31 de dezembro do ano passado, juntamente com o fim da vigência do decreto 6/20, que reconheceu a situação de emergência de saúde no País.

Uma liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), em 30 de dezembro de 2020, garantiu a prorrogação das medidas sanitárias de enfrentamento à pandemia, mas não prorrogou o decreto que reconheceu o estado de calamidade pública nem o pagamento do auxílio-emergencial.

Com informações da Agência Câmara