Levantamento financeiro aponta débitos de quase R$ 11 milhões deixados na prefeitura de Quixadá por gestão anterior

Um levantamento produzido por uma equipe da Prefeitura de Quixadá trouxe a tona números que mostram um verdadeiro descaso promovido pela administração anterior: o então prefeito, Ilário Marques, deixou débitos em atraso com folha de pagamento, que totalizam o valor de R$ 10.945.394,00. Os dados foram confirmados pelo prefeito Ricardo Silveira.

Os números foram levantados por profissionais de contabilidade, administração pública, economia além de membros do corpo jurídico da gestão atual. O estudo para medir o impacto econômico de débitos anteriores ainda está em curso e, por tanto, ainda podem aumentar. O balanço confirmado por Ricardo Silveira referem-se a dados preliminares levantados até esta segunda-feira (11).

Após ter conhecimento dos dados apresentados durante reunião no seu gabinete, o prefeito de Quixadá foi até a TV Monólitos onde detalhou o cenário encontrado. Ricardo classificou a situação como um absurdo, mas tranquilizou a população e se comprometeu a quitar os débitos. “É absurda a situação econômica das finanças do nosso município. Mas estamos traçando estratégias e cientes que é nossa responsabilidade dar um jeito nisso, e vamos dar”, declarou.

O débito de R$ quase 11 milhões refere-se apenas a despesas com folha de pagamento de profissionais da saúde, educação e Instituto Municipal de Previdência de Quixadá (IPMQ). Foram deixados de fora os valores de obrigações patronais, encargos previdenciários e as despesas com fornecedores. Se entrassem no cálculo, o número do débito seria ainda maior.

Frente ao impacto drástico nos cofres públicos, o levantamento elaborado pela equipe técnica encontrou apenas pouco mais de R$ 560 mil em caixa, de modo que, deste total, mais de R$ 490 mil referem-se a verbas do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

O IPMQ também enfrenta problemas em particular. Há ainda um pagamento de R$ mais de R$ 2 milhões, sem que haja verba suficiente para isso. A equipe de Ilário Marques até teria realizado alguns repasses obrigatórios, mas são e valores irrisórios e insuficientes para custear a folha dos aposentados.

O levantamento dos dados para precisar o impacto negativo nas contas públicas de Quixadá, segue em curso e ainda deverá trazer à tona outros números. Na entrevista que concedeu à TV Monólitos onde a imprensa foi convidada a participar, Ricardo Silveira se disse consciente do problema e deu uma palavra de esperança àqueles que ainda aguardam os seus pagamentos deixados em atraso. “Essa é uma questão muito séria. Nossa equipe está descobrindo muitos problemas, que são muitos graves. Mas essa é uma responsabilidade do município e nós vamos pagar. Estamos buscando meios, fazendo estudos, mas vamos pagar por respeito aos trabalhadores”.