Edição 2021 do Encontro dos Profetas da Chuva de Quixadá acontece neste sábado (23) com entrega de obras hídricas para o município

Olhar para o céu, observar os sinais da natureza, desdobrar-se no conhecimento adquirido com o passar dos anos, para conseguir responder a uma pergunta inquietante e que meche com a esperança de todo sertanejo: vem ou não vem chuva este ano? Cerca de 15 profetas e profetisas se encontram, neste sábado (23), para apresentar seus experimentos na 25ª Edição do Encontro dos Profetas da Chuva de Quixadá. O evento acontece no paço da Prefeitura a partir das 9h, com presença reduzida convidados e autoridades, tendo transmissão simultânea pela internet, através do canal da Prefeitura de Quixadá no YouTube.

O evento é realizado pelo Instituto de Pesquisa de Violas e Poesia Cultural Popular do Sertão Central e recebe o apoio da Prefeitura de Quixadá e do estado, através da Casa de Saberes Cego Aderaldo, da Fundação Cultural de Quixadá, Secretaria de Cultura do Estado (Secult) e Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA). A edição deste ano obedece aos rigorosos padrões de segurança sanitária, como uso de métodos de proteção pessoal e distanciamento social.

Na terra de Rachel de Queiroz que eternizou o dilema da seca cearense através de livro, adivinhar se o inverno vai ser bom ou ruim é uma tradição que já dura 25 anos. Organizado pela primeira vez em 1996, o evento foi crescendo e ganhando fama nacional. Nele, os profetas, homens e mulheres de Quixadá com rostos marcados pela fama popular e pelo trabalho na cultura local, arriscam com base nos mais variados experimentos como deve ser o tempo de chuva no estado.

A correlação do evento com a temática da água, abriu a oportunidade de que, na edição de 2021, uma importante ação hídrica fosse anunciada durante o Encontro dos Profetas. Ricardo Silveira, prefeito de Quixadá, receberá autoridades e membros da Fundação Nacional da Saúde (Funasa), para assinar a ordem de serviço que vai investir mais de R$ 6 milhões na construção de cinco sistemas de abastecimento de água, obra que deve beneficias centenas de famílias que por anos convivem com problemas relacionados demanda de água nas comunidades em que vivem.

“Para mim é razão de uma enorme alegria poder trazer uma obra tão importante para Quixadá e que seja em benefício do povo dessas regiões. Tenho a noção da necessidade que estas pessoas possuem de ter água de encanada em suas residências e a Funasa, através de nossa parceria, ajuda a tornar realidade este momento que possui um valor inestimável para essas famílias”, afirmou o gestor de Quixadá.

O secretário de cultura de Quixadá e presidente da Fundação Cultural, o cineasta Clébio Viriato, enxerga a importância do evento a partir do seu papel de preservar a cultura da oralidade, os saberes do homem do campo, o estímulo à crença e à fé, a ainda por trazer para cena o debate em torno simplicidade do homem sertanejo e sua ligação intrínseca com a natureza.

“Esse evento é importante porque preserva no município os saberes dos Mestres da cultura tradicional popular, destacando esses saberes na construção de nossa Identidade Cultural. Vejo esse evento como um potencializador da cultura na região do Sertão Central, pois resgata a memória de nossos ancestrais em relação as chuvas”, afirma o secretário.