Chuva no Ceará em novembro deste ano teve aumento de quase 400%; é o melhor índice desde 1973

Chuvas em novembro trouxeram otimismo e suscitaram a esperança de um bom inverno em 2021 (Foto: reprodução/Funceme)

Quem reparou (e até chegou a estranhar) que as chuvas no período de novembro, conhecidas por anteceder o período da pré-estação, que vai de dezembro a janeiro, foram maiores, realmente acertou. Choveu e chouveu bem no mês de novembro, é o que aponta o balanço divulgado pela Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme). Conforme o órgão, o mês de novembro teve chuvas que representam uma variação positiva de quase 400% no período.

Conforme os dados, o penúltimo mês de 2020 acumulou, na média feita com base nos dados de chuvas de todos os 184 municípios do Ceará durante os últimos trintas dias, o total de 28,6 milímetros. Curioso é que este número está bem acima do que é esperado para os meses de novembro de todos os anos. De acordo com a Funceme, a média histórica de chuvas acumuladas em Novembro é de apenas 5,8 mm. O comparativdo do que choveu em relação ao que era esperado, representa uma variação positiva de 396,4%.

Embora pouca na prática, na teoria significa algo com um bom sinal. O resultado do acumulado em novembro deste ano, é o melhor índice para um mês de novembro deste 1973. Porém, é importante ressaltar que, como novembro é um período de poucas chuvas, os registros pontuais acabaram provocando uma diferença expressiva. As chuvas deste último mês se deram, em sua maioria, pela influência de áreas de instabilidade na região Nordeste que se formaram a partir da atuação de uma frente fria estacionária no Estado da Bahia.

“É importante observar ainda que as chuvas não foram generalizadas. Os 28,6 mm resultaram, principalmente, de precipitações ocorridas nos dias 3, 4, 10, 20 e 21. Nestes, alguns municípios como Ipaumirim, Crateús, Cedro e Aiuaba tiveram mais de 100 milímetros”, explica Meiry Sakamoto, gerente de Meteorologia da Funceme.

A própria observação das maiores chuvas no mês, já levantaram a expectativa e rascenderam a esperança do sertanejo cearense num bom inverno para o ano que vem. E o que se vê com base apenas no que se observa, pode se concretizar. O Instituto Internacional de Pesquisa para o Clima da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, atualizou no mês passado a projeção de ocorrência do La Niña, e o risco de formação do fenômeno aumentou. De acordo com a entidade, a chance é de 41% no último trimestre (outubro, novembro e dezembro), alta de seis pontos percentuais em relação à estimativa anterior.

O La Nina é um fenômeno meteorológico explicado pela geografia e a ocenografia que causa o resfriamento do Oceano Pacífico Equatorial e aumenta a probabilidade de chuvas no Ceará, entrou em atividade em setembro. A tendência é que o La Nina entre em atividade no ano que vem, e se isso acontecer, o Ceará poderá voltar a ter um bom inverno.