Projeto de cultivo de palma forrageira vai investir R$ 7 milhões na Fazenda Normal em Quixeramobim

Cultivo de Palma terá investimento de quase R$ 8 mi em Quixeramobim (Foto: Eugênia Ribeiro /Embrapa)

O Projeto de Desenvolvimento Sustentável da Palma Forrageira (Repalma) distribuirá 8,5 milhões de raquetes de palma forrageira para bovino e caprinocultores cearenses. A ação da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Regional, também implantará 170 unidades de cultivo de palma e instalará um centro de produção de mudas na Fazenda Normal, em Quixeramobim. O investimento total do projeto é de R$ 7,7 milhões.

O agricultor familiar interessado em receber as mudas de palma precisa estar com a Declaração de Aptidão do Pronaf (DAP) ativa e buscar um dos técnicos da Ematerce para cadastrar a demanda. Já nos casos em que o interesse inclui a implantação de uma das unidades de cultivo de palma, o produtor contemplado receberá um reuso d´água de cinzas domiciliares e, com isso, precisa comprovar vazão suficiente para o projeto de irrigação.

“Esse projeto representa a revitalização do cultivo da palma e, com o centro de estudos na Fazenda Normal, poderemos avançar nas inovações tecnológicas aprofundando técnicas de adubação e irrigação da palma”, comenta Márcio Peixoto. Segundo o técnico da coordenadoria de Desenvolvimento da Pecuária (Codep/SDA), muitos produtores ainda se mantém céticos e destinam o pior solo das propriedades rurais para o cultivo da planta.

“Estudos comprovam que, somente acrescentando a palma na dieta do rebanho, o produtor é capaz de reduzir em até 80% o consumo do milho presente na ração e também a ingestão d´água pelos animais. Tudo isso mantendo e, em muitos casos, aumentando, a quantidade e a qualidade de leite produzido por bovinos e caprinos”, justifica a importância do Repalma para a pecuária cearense.