Eleições 2020: Seis pré-candidatos a prefeito, vice e quase 200 ao cargo de vereador fazem convenções em Quixadá

Cezar Augusto (MDB), Cícero Freitas (REDE), Ilário Marques (PT), Ricardo Silveira (PSD), João Paulo Menezes(PTB) e Sérgio Onofre(CIDADANIA) – foto: rede social/arte RC)

Quixadá: As convenções partidárias para que os partidos escolham os candidatos aos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador encerram até o dia 16 de setembro, respeitando o novo calendário eleitoral prorrogado pela Emenda Constitucional 107/2020, em decorrência da pandemia de Covid-19. Na Terra dos Monólitos são seis pré-candidatos ao cargo majoritário.

O partido rede sustentabilidade já promoveu sua convenção e lançou o advogado Cícero Freitas para concorrer ao cargo de prefeito, sendo seu vice o também advogado João Batista Rodrigues, filiado a mesma sigla.

No próximo domingo, 13, o PT lança o advogado Ilário Marques para buscar a reeleição, com o vice Pedro Baquit, PDT.

O atual vice-prefeito de Quixadá, o empresário João Paulo Menezes, do PTB, ainda sem vice, anunciou sua convenção para o dia 14.

O Cidadania fará no próximo dia 15, sua convenção para chancelar a candidatura do advogado Sérgio Onofre, tendo como seu vice o empresário Walker Fernandes, do Podemos.

O cardiologista Ricardo Silveira, PSD, articula para ser escolhido como candidato a prefeito também na próxima terça-feira, o seu vice já está praticamente escolhido, trata-se do vereador Marcelo Ventura.

O vereador Cezar Augusto, do MDB, fará sua convenção também no dia 15, ele ainda trabalha para escolher seu vice.

Conforme apurado pelo Revista Central, seis nomes se lançaram como candidatos ao cargo de prefeito. Em virtude do fim das coligações minoritárias, Quixadá deve atingir 200 candidatos a vereador.

A grande novidade para as eleições 2020 é que vários procedimentos – da convenção partidária ao registro das candidaturas – podem ser online, como forma de atender às recomendações médicas e sanitárias. Além da convenção virtual, será possível digitar a ata, registrar lista de presença, fazer cadastro dos candidatos e encaminhar tudo pela internet para a Justiça Eleitoral. O formato virtual também poderá ser adotado para a definição dos critérios de distribuição dos recursos do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC). As legendas devem garantir ampla publicidade, a todos os seus filiados, das datas e medidas que serão adotadas.

As agremiações terão autonomia para utilizar as ferramentas tecnológicas que entenderem mais adequadas para as convenções virtuais, desde que obedeçam aos prazos aplicáveis nas Eleições 2020 e às regras gerais da Lei nº 9.504/1997 (Lei das Eleições) e da Resolução TSE nº 23.609/2019, com as adaptações previstas quanto à abertura do livro-ata, registro de dados, lista de presença e respectivas assinaturas.