Bolsonaro ataca professores e diz que profissionais não querem trabalhar

Durante uma live nessa quinta-feira (17), Jair Bolsonaro atacou professores e sindicatos, e defendeu o retorno as aulas. Segundo Jair, os sindicatos que são da esquerda estão defendendo o “fique em casa” para que os professores trabalhem menos, e não pelo risco de contágio por covid-19 nas escolas. Ele pediu a Milton Ribeiro, ministro da Educação, que prepare uma orientação a estados e municípios para que o retorno as aulas aconteça.

No entanto, professores tiveram que se desdobrar na pandemia para dar conta das atividades remotas. Em março, as aulas foram paralisadas por causa do agravamento da pandemia no Brasil, que já infectou mais de 4 milhões de pessoas e matou 135 mil pessoas.

Bolsonaro afirmou que o ano letivo foi perdido, criticando a atuação de sindicatos que seriam “radicais de esquerda” e estariam atrapalhando o retorno as aulas, sem apresentar dados. O sindicato docente do Estado de São Paulo, através do O Globo, disse que não é possível comparar a realidade brasileira com a de países europeus, pois vivem realidades e momentos de pandemia distintos. O medo é que o retorno das aulas provoque uma segunda onde contaminação.