923 mil pessoas ficaram sem auxílio nem Bolsa Família por erro do Governo Federal

Um erro do Governo Federal deixou 923 mil pessoas sem auxílio-emergencial nem Bolsa Família no mês de agosto. Elas tiveram o auxílio cancelado ou suspenso depois de revisão nos cadastros, mas deveriam ter recebido pelo menos o dinheiro do Bolsa Família.

Segundo o governo, o benefício será pago junto ao de setembro. O Ministério da Cidadania informou que a revisão dos cadastros “é resultado de um trabalho sistemático realizado pelo Governo Federal”. A medida pretende “garantir a melhor aplicação dos recursos públicos e alcançar os cidadãos que se enquadram nos critérios de elegibilidade”.

Inscritos no Bolsa Família e que têm direito ao auxílio não acumulam os dois pagamentos, recebem apenas o de maior valor. O valor médio do Bolsa Família é de cerca de R$ 190, enquanto o auxílio emergencial em agosto era de R$ 600 por pessoa (ou R$ 1.200 para mulheres chefes de família).