Greve dos correios, que estava marcada para esta terça (4), é adiada para dia 18 de agosto

Funcionários dos correios alegam corte de Benefícios (Foto: CNN Brasil)

A greve dos funcionários do Correios, que foi anunciada para esta terça-feira (4), deve ser declarada somente no próximo dia 18 de agosto. É o que afirmou em nota oficial da Federação Nacional dos Trabalhadores dos Correios, Telégrados e Similares (Fentec), na qual orienta os funcionários dos Correios a realizarem uma greve no dia 18 de agosto. Uma assembleia deve acontecer um dia antes para confirmar a paralisação.

O motivo da paralisação é a falta de acordo entre os trabalhadores e a empresa pública. Segundo dirigentes sindicais, os Correios propuseram a exclusão de 70 das 79 cláusulas da convenção coletiva. Dentre as propostas estão o fim da licença-maternidade de 180 dias, a extinção de adicional de risco de 30%, além de diminuição do vale-alimentação.

Há ainda outra questão, a ser definida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que trata sobre a validade da convenção coletiva. No ano passado, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) determinou que a convenção valeria por dois anos, mas os Correios recorreram e, por meio de liminar, conseguiram validade do documento por 12 meses e reajuste do plano de saúde no STF.

Em resposta ao corte de benefícios, os funcionários dos Correios chegaram a confirmar, na semana passada, uma paralisação a partir desta terça-feira, mas a greve nos serviços foi oficialmente adiada. Segundo o Governo Federal, esta decisão será um agravante para a economia, que já está afetada pela pandemia de covid-19.

 

Com informações da Agência Folhapress