Terra da impunidade: Cargos dos concursados continuam sendo ocupados por “selecionados”, em Quixadá

Quixadá: O Procedimento Administrativo n° 09.2020.00001802-0, instaurado pela 4ª Promotoria de Justiça de Quixadá no dia 06 de maio de 2020, recomendou diversas medidas ao prefeito José Ilário Gonçalves Marques e secretários municipais, todavia, da esteira da impunidade e falta de ações firmes, raramente são acatadas.

O promotor de justiça Claudio Chaves Arruda recomendou que o prefeito Ilário Marques e seus secretários se abstenham-se de publicar processos seletivos para contratação de servidores temporários e realizar tal modalidade de admissão de pessoal sem a demonstração de que haja previsão legal para tanto.

Dias depois da recomendação, a Secretaria Municipal da Administração de Quixadá tornou público outras seleções, uma dela, a abertura de inscrições para realização de Processo Seletivo Simplificado, com vistas à criação de banco de recursos humanos, para contratações temporárias de profissionais quando houver falta de profissional de carreira da Secretaria Municipal da Saúde,

Entre os cargos, auxiliar de serviços, agente administrativo, atendente, motorista A/B/D, maqueiro, auxiliar de serviços funerário, téc. em imbolização ortopédica / gesso hospitalar, alguns desses cargos que estão no rol do concurso público de 2016, cujos aprovados estão esperando há quase quatro anos. As inscrições ocorrem nos dias 29/05/2020 a 05/06/2020.

No outro lado, os aprovados do concurso público sentem a angustia e a sensação da impunidade reinando entre as instituições, tonando-as obsoletas e levando ao descrédito público.

Em Quixadá, já é público que o prefeito tudo pode e a sensação é que está acima da lei e das instituições. Aos concursados, restam apenas esperar, enquanto os selecionados, quase sempre aliados dos gestores ocupam seus cargos.