Camilo Santana diz que etapa de retomada da economia pode regredir se casos da Covid-19 voltarem a subir

O governador do Ceará, Camilo Santana, afirmou nesta segunda-feira (29) que o processo de retomada gradual da economia no Ceará “poderá regredir e negócios voltarem a ser fechados” caso os números da Covid-19 voltem a subir. O chefe do executivo revelou ainda ter visto imagens de aglomerações “injustificáveis” diante do cenário que ainda é de preocupação.

“Tenho alertado que a situação não é de normalidade. A epidemia continua. O cenário ainda é de preocupação. Tenho visto imagens de aglomerações injustificáveis. É preciso responsabilidade. Se não houver consciência de todos, os números da Covid podem voltar a subir e o Processo de Retomada Econômica não avançará, podendo, até mesmo, regredir e negócios serem novamente fechados, o que não queremos que ocorra”, disse.

Ao mesmo tempo em que considerou a economia importante, Camilo aproveitou para fazer um apelo à população para que tome as medidas de segurança e não exponha a própria vida e a dos outros em risco.

“A economia é importante, as pessoas precisam voltar a trabalhar, mas muita gente está ignorando os alertas e colocando sua vida e a dos outros em risco. Essa luta só será vencida se todos colaborarem. Só saia de casa quando for necessário, e sempre usando máscara. Somente juntos iremos vencer essa pandemia”, finalizou.

A retomada da economia no Ceará será realizada em quatro etapas, adotada progressivamente quando os casos da doença reduzirem. Atualmente, a capital cearense está na Fase 2, que permite a abertura do comércio em horário reduzido e com regras para evitar isolamento social. Outras cidades do interior onde os casos aumentam em maior velocidade, há aplicação de lockdown.

Ceará passa de 6 mil mortes por Covid-19
O Ceará ultrapassou as 6 mil mortes pela Covid-19, conforme dados da plataforma IntegraSUS atualizados à 16h18 desta segunda-feira (29). São 6.076 óbitos em decorrência do novo coronavírus, com 108.225 casos confirmados no Estado. As primeiras mortes pela doença foram confirmadas no dia 26 de março, há 95 dias.

O índice de 5 mil mortes pelo novo coronavírus no Ceará foi ultrapassado no fia 15 de maio. A mortalidade da enfermidade no Estado, proporção entre as taxas de casos e óbitos, está em 5,8%. Há ainda 619 mortes suspeitas, em investigação.

Na última quinta-feira (25), o Ceará ultrapassou os 100 mil casos, com registros confirmados em todos os 184 municípios. Houve o primeiro diagnóstico confirmado de um residente da cidade de Granjeiro, no sul do Estado, única que ainda não havia registrado infectados. Fortaleza lidera os índices da doença e tem 35.081 diagnósticos positivos. 3.276 pessoas não resistiram à Covid-19 na capital.

Em seguida no número de mortes, estão Caucaia (275), Sobral (225) e Maracanaú (211). Na Região Metropolitana de Fortaleza, Caucaia e Maracanaú contabilizam 3.551 e 3.563 casos confirmados.

Sobral registra os maiores índices do novo coronavírus na Região Norte, com 6.404 confirmações e 225 mortes. A enfermidade também se destaca em Juazeiro do Norte, no Cariri, que contabiliza 1.564 casos e 85 mortes. As duas cidades estão em isolamento social rígido. O lockdown, a partir desta segunda-feira (29), também vale para Iguatu, Tianguá, Crato Barbalha e Brejo Santo.

Com informações do G1