Conquista: Ibicuitinga terá sinal da operadora de celular Vivo; antena começou a ser construída

Antena vai distribuir sinal da Vivo para moradores do Município, começou a ser erguida (Foto: Franzé Carneiro/reprodução rede social)

Região Central: A cidade de Ibicuitinga terá em breve o sinal da operadora móvel Vivo, a disposição para os usuários de telefonia celular. Uma antena da empresa começou a ser montada no município na última quarta-feira (20). O anúncio foi feito pelo prefeito Franzé Carneiro através de suas redes sociais.

“Há alguns meses estivemos em reunião com os representantes da operadora e da empresa de infraestrutura para viabilizar a construção da antena e disponibilização do sinal para a nossa população. A instalação da torre foi iniciada. Em breve teremos uma comunicação melhor com os distritos que possuem torres da operadora VIVO”, comentou o gestor.

A construção da torre começou ainda na quarta. Os primeiros metros da base do equipamento, já tinha sido erguida pelos trabalhadores. Franzé não detalhou em quanto tempo o projeto de construção completa da torre da operadora deve estar concluída. A chegada do sinal da Vivo foi motivo de comemoração entre a população nas redes sociais. Moradores do Centro da cidade detalharam a necessidade de se ter uma nova rede móvel em Ibicuitinga.

“Vai ser uma maravilha por quê muita gente já não aguenta mais só a operadora Claro né Por quê muitas vezes o sinal muito fraco dentro da cidade em alguns lugares dentro da própria cidade não funciona fica sem sinal (sic)”, comentou um dos moradores.

Franzé sabe bem o que está fazendo em Ibicutinga: o município é um dos 61 do Ceará que contam com apenas um sinal de telefonia celular disponível. Por lá, a rede predominante é a Claro. Além de Ibicuitinga, a operadora é a única opção para 29 municípios cearenses, conforme dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

A necessidade de uma nova opção entre os moradores é latente, já que a qualidade do serviço da Claro deixa a desejar. Além disso, de acordo com cados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), cerca de 60% da população da cidade tem renda mensal superior a um salário e meio, o que confere poder aquisitivo para possuir um celular.